terça-feira, 27 de janeiro de 2015

De amarga a doce


Leitura:
Êxodo 15:22-27
…o Senhor lhe mostrou uma árvore;
lançou-a Moisés nas águas, e as águas se tornaram doces…
—Êxodo 15:25
Alegria e tristeza são, muitas vezes, companheiras bem próximas. Assim aconteceu aos israelitas que haviam acabado de experimentar a emoção da vitória no Mar Vermelho quando, três dias depois, se viram diante das águas amargas de Mara (Êxodo 15:22-23). Nosso júbilo pode transformar-se rapidamente em angústia.
Em Mara, o Senhor ordenou a Moisés que lançasse um arbusto na água, o qual a tornou “doce” para beber (v.25). Outra “árvore” quando “lançada” nas circunstâncias amargas da nossa vida, pode torná-las doces. Trata-se da cruz de Jesus (1 Pedro 2:24). A nossa perspectiva será transformada ao contemplarmos a Sua morte sacrificial e Sua submissão à vontade de Deus (Lucas 22:42).
Nossa dor pode vir da vontade doentia ou da negligência de terceiros. Contudo, o nosso Senhor a permitiu. Talvez não entendamos o motivo, porém, é da vontade de nosso Pai e Amigo, cuja sabedoria e amor são infinitos.
Quando dizemos sim a Deus, à medida que Ele nos revela a Sua vontade através da Palavra, nos lembramos da cruz de Jesus e nos submetemos ao Pai, a amargura se transforma em doçura. Não devemos nos queixar daquilo que o Senhor permite. Mas devemos fazer tudo o que Ele nos pede para fazer. Jesus disse que devemos tomar diariamente a nossa cruz e segui-lo (Lucas 9:23). —David H. Roper
Acesse também o site: Consciência Rosa

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Lucas 22:19

"E tomou o pão, deu graças, partiu-o e deu-lhes, dizendo: 
Isto é o meu corpo, que por vós é dado; 
fazei isto em memória de mim." 
(Lucas 22:19)


sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Esvaziando as Gavetas (por Helena Tannure)

Na última semana do ano é comum nos impormos certas reflexões. Tempo de recordar o que se passou, avaliar as decisões e suas consequências e sonhar com o novo!

Acho que a virada do ano tem um efeito psicológico fantástico em todos nós!

No rito da passagem deixamos para trás as dores, decepções e frustrações. Viramos a página na ânsia de ter pela frente novas historias.

Particularmente pra mim, também é tempo de faxina. Arrumar gavetas, reorganizar armários, descartar o que está apenas ocupando lugar sem uso ou utilidade e todas as vezes que estou neste processo, faço uma associação natural com a faxina da alma.

Nas gavetinhas do nosso coração acabamos guardando desânimo, ressentimentos, uma palavra mal dita, rejeições, raiva e, definitivamente, a limpeza precisa ser feita. 

Tais coisas embaraçam o nosso caminho nos impedindo de viver usufruindo a vida abundante que nos foi conquistada na cruz.

Quando escuto as palavras de Jesus: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”, três outras palavras me ocorrem imediatamente: PAZ, ALEGRIA e PROPÓSITO.

Paz e alegria são óbvias, todo ser humano deseja! Mas Jesus veio fazer mais. Ele veio para nos conceder paz e alegria independente das circunstâncias. É para este lugar que o mestre quer nos levar, a liberdade absoluta de pertencer a Ele na certeza de que Ele nos capacita como a única fonte.

E o propósito? Porque nascemos? Para quê existimos?

Quando descobrimos qual a nossa vocação em Deus, nossa jornada se torna livre dos tropeços da competição e do sentimento de inferioridade que aprisiona milhares em nosso século. 

Há um lugar, no centro da vontade de Deus, feito pra você. Peça ao Senhor para te conduzir a este lugar. 

Que o Mestre seja sua única fonte, afinal, Ele mesmo nos prometeu: “Aquele que beber da água que Eu lhe der nunca terá sede, porque a água que Eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna.”

Feliz Ano Novo, com paz, alegria e propósito!


Helena Tannure.