domingo, 20 de março de 2011

Evangelismo acontece com a vida

A Ásia e o Oriente Médio concentram cerca de 2/3 da população mundial, a maior extensão de terra dentre as demais regiões, bem como a maior parte dos campos fechados à obra missionária em todo o mundo. Deus tem abençoado a obra através dos 85 missionários apoiados pelas igrejas brasileiras por meio da JMM.

A grande benção alcançada no Oriente Médio em 2010 foi a abertura de mais um campo. Trata-se de um casal, que já estava nesse campo,que tem dupla nacionalidade e se utiliza do esporte (jiu-jitsu) como estratégia profissional e evangelística.

Entre os árabes, os missionários da JMM atuaram em quatro campos, com a presença de obreiros da terra em todos e de brasileiros em dois deles. Embora seja uma região muito tensa, muitas são as expectativas de pessoas que chegam ao conhecimento do Evangelho pregado em sua própria língua e pelos nacionais. "...três familias mulçumanas se converteram, após procurarem o obreiro da terra para tirar dúvidas. Assim, o milagre do Espírito Santo atraiu seus corações por causa do amor e perdão de Cristo Jesus", contou o supervisor dos obreiros da terra naquela região.


Fonte:  Revista A COLHEITA - informativo do programa de adoção missionária - PAM
ano VIII - n° 37 - Janeiro/Fevereiro - 2011



domingo, 13 de março de 2011

LíderAção 2011

Todo ambiente é reflexo da liderança que possui. Sendo assim, um pequeno grupo ou uma grande organização, um povoado ou um grande país é fruto da liderança que é exercida sobre ele. Nosso planeta carece de líderes que causem transformações para melhor. Se tratando de liderança cristã, com a falta de líderes com caráter, princípios e visão surge um vácuo que precisa ser preenchido com urgência. Precisamos de líderes que ultrapassem as fronteiras de sua organização e que possam enxergar além do meio que em vivem. Líderes que possam agir localmente, mas que pensem globalmente. Líderes que possam ir além do pensamento convencional, e que causem uma mudança positiva para além das fronteiras. Precisamos de líderes “Sem Fronteiras para Liderar”.



Contato:
Pr Josimaber Rezende
41 8862 0561 Vivo - 9625 3148
Coordenador do LíderAção 2011

JUBEPAR - Juventude Batista do Paraná
Rua XV de Novembro, 3270 - Alto da XV
CEP 80050-000 Curitiba/Pr
Fone/Fax: 41 3362 7878

jubepar@jubepar.com.br

 




sábado, 12 de março de 2011

Radical Latino impacta Sambódromo do Rio

Por Marcia Pinheiro 10 de março de 2011


Os jovens do Projeto Radical Latino-Americano (Voluntários Sem Fronteiras da JMM) deram graças a Deus pelos resultados alcançados em mais um Impacto de Carnaval realizado no Sambódromo do Rio de Janeiro. Eles tiveram um tempo de aconselhamento e oração antes de seguirem para o Sambódromo vestidos com uma camiseta na qual se lia a seguinte mensagem: “Venha com a gente... A nossa escola é diferente".

"A nossa escola ensina que Cristo nos ama e nos quer para a santidade”, disse o Pr. Élbio Márquez, Coordenador do Projeto Radical Latino-Americano.

Centenas de pessoas que queriam se afastar da vontade de Deus foram alcançadas pela Sua graça ao ouvirem os Radicais Latinos cantarem: “Oh! Oh! Oh! Jesus te ama". Movidas pela curiosidade, elas procuraram os jovens e foram evangelizadas. Só na primeira noite houve 30 decisões por Cristo.

A estratégia de evangelismo envolveu oficinas de mímica, percussão, trabalho com crianças e muita animação. Os Radicais também distribuíram água aos foliões, aproveitando para falar da Água da Vida e pintaram o rosto das crianças com temas bíblicos, enquanto evangelizavam seus pais. Com um louvor em ritmo de samba, o grupo foi notado e soube fazer a diferença em meio à festa da carne.

“Mais uma vez Deus nos usou para falar do seu amor. Ainda não temos a contagem final dos frutos colhidos. Mas estimo que cerca de 400 pessoas tomaram sua decisão por Cristo. Louvado seja o Senhor que nos dá a vitória”, finaliza o Pr. Élbio.




sexta-feira, 11 de março de 2011

PLANO COOPERATIVO

O que é o Plano Cooperativo?

EU SOU O PLANO COOPERATIVO
  • Sou fruto da união das igrejas batistas no esforço comum de alcançar o ser humano como um todo.
  • Sou expressão da mordomia de cada crente, como reconhecimento da sabedoria de Deus em sua vida e conseqüência, acima de tudo, de um compromisso com o Senhor e o seu Reino.
  • Sou bíblico em meu objetivo e bíblico em meus métodos.
  • Sou resultado da fidelidade de crentes, igrejas e juntas estaduais/regionais que, com toda a liberdade, decidem empregar uma parte dos recursos à sua disposição, para que a obra de Deus cresça mais equilibradamente no Brasil e no mundo.
Mas...

Eu também sou DINHEIRO
  • Eu sou seus dízimos e ofertas entregues de coração, fruto de uma vida dedicada.
  • Sou o dinheiro muitas vezes escasso da venda de mandioca, de milho, de hortaliças: dinheiro de trabalho pesado numa construção.
  • Dinheiro do povo trabalhador deste grande país.
  • Eu venho de farmácias e postos de gasolina.
  • Eu venho de renda de capitais, apólices e dinheiro economizado.
  • Eu venho de salários de aposentados.
  • Eu venho das economias de donas de casas fiéis.
  • Eu venho de lucros de grandes e pequenas indústrias, comerciantes e profissionais liberais
  • Eu sou dinheiro consagrado.
  • Eu pertenço a Deus e sou parte da grande esperança de ver sua vontade executada na terra.
  • Quando me uno, formo milhares de reais.
  • Sim. Eu sou DINHEIRO, dinheiro sagrado, dado livremente por gente livre, para a cousa mais sagrada do mundo
Mas, eu sou mais do que dinheiro.

Eu sou GENTE
  • Eu sou missionários nos estados, por todo o Brasil e pelo mundo, lutando no calor do Nordeste, na vastidão da floresta Amazônica, em meio a problemas sociais e políticos de outros países, entre povos de outras línguas e culturas, em meio ao crescimento das grandes cidades, nas tribos indígenas, no sertão por país e além-mar, ensinando ao nosso povo e aos de todos os climas e raças o evangelho de Cristo.
  • Sou jovens aprendendo e contagiando outros com sua alegria e dinamismo. Sou homens que atuam nas diversas atividades das igrejas. Sou mulheres fiéis, dedicadas e ativas a serviço do Rei, dentro dos templos, lares e comunidades.
  • Sim, eu sou GENTE. Sou testemunha de Cristo, dando nova esperança ao frustrado, colocando um hino nos lábios dos angustiados, mostrando às crianças um caminho seguro, repartindo a alegria e a fé com os que estão sem Deus e sem salvação
Além disso,

Eu sou TRABALHO
  • Trabalho duro. Trabalho paciente, por anos a fio, muitas vezes no anonimato, sem resultados aparentes. Eu sou alegria de ver igrejas nascendo fortes, atuantes e missionárias, nos caminhos da Pátria e do mundo, com crentes que amam e cultuam a Deus.
  • Eu sou pastores e evangelistas, pregando noite e dia entra mês, sai mês, nunca cessando seu apelo à humildade perdida, ensinando, pregando, assistindo e aconselhando.
  • Eu sou o esforço de produtores e técnicos das comunicações audiovisuais, preparando programas inspirados e doutrinados para estações de rádios e televisão, videocassetes, bem como orientação e assessoria a entidades irmãs.
  • Eu sou um professor, dia após dia, semana após semana, ensinando jovens vocacionados a entenderem melhor as Escrituras Sagradas, a administrar a igreja, a evangelizar, a discipular os crentes, a educá-los cristamente, a interpretar a mensagem de Deus para o mundo hoje.
  • Eu sou o redator das revistas e jornais da Denominação, escrevendo artigos e estudos informativos e desafiadores para crianças, jovens e adultos de igrejas grandes e pequenas, das cidades, das vilas e do sertão.
  • Eu sou o empenho de muitos crentes procurando dar aos missionários idosos uma aposentadoria que lhes garanta o sustento, depois de tantos anos dedicados à evangelização e ao ministério pastoral.
  • Eu sou os batistas ao redor do mundo, dando suas mãos em testemunho a todos os povos.
  • Eu sou a coordenação e planejamento, procurando usar com sabedoria os recursos que criam condições para uma ação de amor e esperança em nossa terra.
  • Quem me despreza ou me ignora, despreza e ignora o momento sagrado em que um grande povo, chamado batista, vai ao encontro da humanidade perdida, dilacerada, desfeita e necessitada.
Mas isso não é tudo...

Eu sou VOCÊ
  • Sou você através da sua igreja e da junta de seu estado.
  • Sou você dando de si mesmo ao mundo através de sua participação.
  • Sim. Eu sou VOCÊ, sua voz, tentando mostrar que o mundo não está sendo controlado pelo poder das trevas. O mundo tem um propósito e uma ordem moral.
  • Eu sou você trabalhando em toda parte e em todo tempo, para provar que Jesus Cristo reina.
  • Eu sou a canção gloriosa em seus lábios, proclamando: A SOLUÇÃO É JESUS CRISTO.
  • Eu sou uma grande expressão de conquista para unidade e crescimento da Convenção Batista Brasileira.
  • Sim. Eu sou o Plano Cooperativo


Quando a CBB - Convenção Batista Brasileira - criou em 1959 o Plano Cooperativo, ela o fez para organizar a vida financeira da denominação. Visto que não havia qualquer sistema de sustento nacional, tudo era na base da oferta e do subsídio da Junta de Richmond. Havia o caos financeiro. Dependência total de todos os campos, exceto o antigo Distrito Federal (hoje Convenção Carioca).

A divisão do Plano Cooperativo era de 50% para a CBB e 50% para os Campos Estaduais.

Hoje, a obra batista brasileira é sustentada por recursos nacionais e os Campos Estaduais ganharam força, independência financeira com a criação do Plano Cooperativo.

O Plano Cooperativo só não é melhor por causa da infidelidade dos crentes na entrega dos dízimos e da infidelidade das igrejas na entrega da parcela mínima de 10% de suas receitas para o sustento denominacional e a infidelidade de muitos Campos Estaduais na manutenção de um percentual que não deveria ser menor que 30%.

Cooperação é uma via de duas mãos. Quem pensa que encurtando ou cortando uma das mãos vai ganhar está completamente errado. Os estados que tem diminuído o Plano Cooperativo continuam com os mesmos problemas e talvez até com outros maiores, visto que perdem condições éticas e espirituais de solicitar maior participação, visto estar praticando o corte da cooperação.

O caminho não é o corte da cooperação, e sim, o trabalho difícil, persistente e muitas vezes penoso, de conseguir mais cooperação tanto dos crentes com suas igrejas, via campanhas de Mordomia Cristã, como das igrejas com a entrega do Plano Cooperativo Estadual.

É o Plano Cooperativo que sustenta grande parte da obra de Missões, de Educação Teológica, e no caso do Conselho de Planejamento e Coordenação da CBB, integralmente, participando ainda do sustento da UFMBB, UMMBB, JUMOC entre outros, conforme pode ser visto no texto: “Eu sou o Plano Cooperativo”.

Não adianta dizer que outras denominações estão fazendo mais do que nós: tem programa de televisão, rádio, etc. e cortar cooperação.

A Convenção Estadual, ou igreja, ou crente que diminui sua cooperação perde a força moral e espiritual de cobrar cooperação de outros.

Finalmente, lembro que, o Plano Cooperativo é primeiramente um compromisso das igrejas filiadas a CBB com ela, e só depois, é que é com as convenções estaduais e associações, visto que quem criou, votou e pediu a cooperação das igrejas foi a CBB como já disse em 1959, e a partir daí, tem alimentado ampla Campanha em prol do referido plano, criado inclusive o dia do Plano Cooperativo: 4º domingo de Outubro, em 1998, dia 24 do referido mês.

Diminuir o Plano Cooperativo é diminuir a força da cooperação.

Creio amado irmão, que aí está de forma nacional e bíblica a questão para um povo de quem o apóstolo Paulo diz: “porque nós somos cooperadores de Deus. Vós sois lavoura de Deus” (I Coríntios 3:9).

Fonte: Convenção Batista Paranaense





terça-feira, 8 de março de 2011

A Morada da Sexta Felicidade (filme)



Título Original: The Inn of the Sixth Happiness

Sinopse: Baseado na história verdadeira de Gladys Aylward, uma santa dos dias modernos, cuja paixão irredutível por fazer o bem a levou a atravessar meio mundo.
Inspirado por seu sonho de tornar-se missionária, uma empregada inglesa (Ingrid Bergman) viaja para a China e abre uma hospedaria para viajantes cansados e famintos que atravessam as desoladas trilhas nas montanhas. Gradualmente consegue vencer a hostilidade dos habitantes locais, ganhar o amor de um coronel eurasiano (Curt Jürgens) e converter um poderoso mandarim (Robert Donat) ao cristianismo. Mas seu grande feito acontece quando, durante a invasão japonesa na China, ela consegue levar uma centena de crianças sem lar a um local seguro atravessando território dominado pelo inimigo.
Forte e tocante, este filme inspirador foi adaptado do 'best seller' de Alan Burgess chamado "The Small Woman".

Tempo aproximado: 157 minutos
Ano de produção: 1958
Ano: 2005

domingo, 6 de março de 2011

Restart, Fiuk e Colírio da Capricho

.
por Tiago Cata (ministério de Adolescentes)
.
Você já parou para pensar que de época em época aparece uma nova modinha adolescente? Uma nova banda, um novo ícone ou até mesmo gírias que ninguém entende? Esse é o caso da banda Restart, do cantor Fiuk e dos Colírios da Capricho.

Talvez você não conheça nenhum dos nomes citados acima. Mas se você tem filho(a), irmão(ã), conhece algum adolescente ou é adolescente, é muito importante você ler este artigo até o final.

A banda Restart é uma banda que faz um som pop rock emo e usa roupas bem coloridas! Cabelo estilo lambido na testa e repicado. Além das músicas, estão influenciando os adolescentes também com seu estilo e ideias. Pra se ter uma noção, o sucesso começa com os pré-adolescentes que são apaixonados por eles. E isto não só fora da comunidade evangélica, mas dentro também. Basta vir no culto dos adolescentes da nossa igreja (PIB Curitiba) e observar como se vestem.

Fiuk é um cantor, vocalista da banda Hori e ator da Malhação. Também faz sucesso entre as meninas, que olham para ele como um exemplo de homem para casar.

Capricho é uma revista para meninas, e "Colírio da Capricho" é o nome que eles deram para um garoto considerado “lindo”, ele sai no site da capricho com fotos, dados pessoais e um pouco sobre o que ele faz, para as meninas ficarem olhando e conhecendo um pouco sobre ele. O que mais chama a atenção? Fazem vários perfis no orkut, ele fica famoso em pouco tempo, ficam twittando o dia inteiro, ao ponto de não se preocupar com os estudos, pois já se acham “pop” e isso é o que importa. Uma futilidade tremenda.

O que nós temos a ver com isso? Como igreja e família precisamos conhecer o que os nossos adolescentes estão buscando como influência. E com certeza as influências citadas acima não são as melhores. Ideologias em letras de músicas que forçam o avanço de adolescentes na vida sexual, uma revista que o "legal" é ficar, ser famoso, a beleza é ditada, e quem não está dentro desta regra está fora da "galera".

E podemos encontrar na Palavra de Deus porções do que Ele pensa sobre algumas modinhas que aparecem por ai. Por exemplo, em Romanos 12:2 diz: Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Este versículo deveria fazer mais parte de nossa vida. As vezes estamos conformados com algumas situações e achamos que o que vemos é normal. Devemos prestar mais atenção em algumas questões pois pode ser duro o resultado que as más influências farão com o adolescente no futuro.

Pais, peço-lhes que conheçam de perto o que seu filho está fazendo, quem são seus amigos e acima de tudo, seja presente em sua vida! Não deixe seu filho muito tempo na internet sozinho, procure conhecer os sites de relacionamentos no qual ele está participando, as músicas que está ouvindo, quem que o rodeia.

Igreja de Cristo, ore pelos adolescentes, continuem valorizando o ministério que temos, ame-os e que a maior influência em suas vidas possa ser Jesus Cristo.

Adolescentes, sejam diferentes, sejam autênticos, e saibam que quem nunca saiu de moda foi Jesus Cristo! O único que é falado, estudado, pesquisado a mais de 2000 mil anos em todo o mundo.
.
.
.


sábado, 5 de março de 2011

Classificação de Países por Perseguição 2011

Clique na imagem para ampliá-la
  

Veja como é formada
 
O que é a Classificação de países por perseguição?
É uma lista na qual os países são classificados segundo o grau de intolerância para com o cristianismo. Seu objetivo é informar a reação dos países ao evangelho e acompanhar aqueles em que a perseguição está se tornando mais intensa.
 
O contato direto com as igrejas locais no mundo todo é nossa fonte mais importante de informações. Com essa rede internacional de informantes, publicamos uma atualização da lista periodicamente. O procedimento é executado desde 1993. Desde janeiro de 2003 é atualizada uma vez ao ano.
 
O motivo para criar a Classificação
A Portas Abertas precisava de algum tipo de padrão para comparar a situação da Igreja em vários países. Por exemplo, como comparar a China com a Arábia Saudita? Claro que esse padrão tem de ser o mais objetivo possível. A Classificação tornou possível distinguir entre situações e delinear prioridades para o trabalho ministerial. Esse é o valor fundamental do levantamento: uma forma de determinar onde a necessidade é mais urgente.
 
O critério de seleção é o resultado de um questionário específico, desenvolvido com perguntas padronizadas sobre:
  • a situação legal dos cristãos no país;
  • a atitude do regime político em relação à comunidade cristã;
  • a liberdade da Igreja para organizar eventos;
  • o papel da Igreja na sociedade;
  • o tratamento de cristãos considerados individualmente; e
  • outros fatores limitadores da vida de igrejas e cristãos.
As respostas a essas questões oferecem um bom vislumbre sobre a falta de liberdade de opção religiosa e prática da fé.
 
Há 50 questões desse tipo para serem respondidas. São perguntas de múltipla escolha, e a cada resposta é atribuída uma avaliação em pontos. Quanto mais pontos um país recebe como "nota", pior a situação.
 
Fonte das informações
  • As igrejas locais nos países onde há perseguição são nossa fonte mais importante de informações.
  • Nossas bases de programa informam sobre os países em que trabalham.
  • Especialistas em várias áreas de conhecimento nesses países.
  • Viajantes retornando do lugar são convidados a colaborar com suas impressões sobre a situação atual do país.
  • Equipes da Portas Abertas levam o questionário em suas viagens e pedem a diversos contatos que o preencham.

  

 Acesse também:

quarta-feira, 2 de março de 2011

Dispostos a fazer mais pelo Brasil


O casal Aederson e Daniela Barros, da Igreja Batista em Jardim Camburi, Vitória/ES, ao ouvir o diretor executivo de Missões Nacionais, pastor Fernando Brandão, compartilhando histórias de diversos campos missionários, decidiu fazer uma pareceria com o trabalho em Laranjal do Jari (AP). Mas foi além de uma simples parceria financeira, Aederson desejou visitar o campo missionário. “Durante todo o culto, o Espírito Santo estava falando muito ao meu coração para dedicar parte de minhas férias de 2010 em Laranjal. Quando terminou o culto, olhei para minha esposa e disse ‘Vamos ano que vem para Laranjal?’. Ela respondeu sem questionar: ‘VAMOS’... aleluia... entendi que Deus também estava falando com ela”.
Compartilharam com o pastor Fernando o desejo de ir ao campo, e também com os pastores da igreja, sendo por todos apoiados. Iniciaram os contatos com Missões Nacionais para que tudo fosse planejado e no dia 5 de julho o casal chegou a Macapá, sendo hospedado pelos missionários – pastor Dirceu e Ana Paula Severino, para que no dia seguinte seguissem viagem para Laranjal do Jari.

Depois de nove horas e meia de viagem, chegavam ao destino, onde permaneceram por uma semana. “Foram dias incríveis e especiais promovidos por Deus. Fomos com um desejo muito grande de ajudar de alguma forma o pastor Alexandre e a irmã Carla e voltamos ricamente abençoados. Foram dias especiais com eles, participando dos estudos e do projeto Igreja Multiplicadora. Foi tremendo”, afirmou Aederson. Segundo ele, o coração do casal é impulsionado por missões e sempre desejou ter esta experiência no campo, o que marcou seus ministérios e suas vidas. “Voltamos impactados e dispostos a fazer mais pela nossa nação, que precisa experimentar o amor de Jesus Cristo. Estar em Laranjal do Jari, ver toda a necessidade de um povo, andar pelas ruelas no bairro Beira-Rio, entre uma palafita e outra, despertou o nosso coração”.

Para o casal, conhecer o campo missionário por intermédio das cartas que os parceiros do PAM Brasil recebem é muito importante, porém vivenciar o dia a dia do campo e suas necessidades é incrível. “Conhecemos um Brasil que não conhecíamos antes. Estivemos em uma cidade muito carente e muito necessitada do amor de Cristo. O enorme número de crianças de 12 e 13 anos que já têm filhos, frutos da prostituição e abuso infantil... Foi tudo muito marcante. Nosso tempo lá marcou nossa história”. Aederson, que é seminarista, garante que estar no campo missionário fornece uma visão real das necessidades de um povo e assim promoveu uma transformação de valores em suas vidas e também mostrou que existe algo mais que podemos fazer como igreja de Cristo. “Nossas prioridades são outras e Deus falou muito comigo que preciso cuidar da minha ‘casa’, da minha nação”.

Como seminarista, Aederson e Daniela estão sempre abertos para que o Senhor faça em suas vidas o que Ele quiser. “Como Isaías, queremos responder “sim” ao chamado de Deus. Ir ao campo missionário e viver na prática essa experiência faz parte desse descobrir em Deus o que Ele tem para o nosso futuro. Desejamos que Deus use o que vimos e vivemos naqueles dias para contagiar outros irmãos para orar, ir e investir na obra missionária”.

Fonte: Revista A PÁTRIA PARA CRISTO – ano LXV nº250

 

 


terça-feira, 1 de março de 2011

Campanha JMM 2011 - Eles Também Precisam da Graça do Pai

Campanha de Missões Mundiais 2011


Tema: ELES PRECISAM DA GRAÇA DO PAI

Divisa: "Porque a graça de Deus se manifestou, trazendo salvação a todos" (Tito 2.11)

Hino Oficial: “Poder pra Salvar” (R. Morgan e B. Fielding)

PODER PRA SALVAR
Mighty To Save

Verso 1
Todos necessitam, de um amor perfeito,
perdão e compaixão.
Todos necessitam, de graça e esperança,
de um Deus que salva.
CORO
Cristo move as montanhas, e tem poder pra salvar,
tem poder pra salvar.
Pra sempre Autor da salvação, Jesus a morte venceu,
sobre a morte venceu.
Verso 2
Me aceitas com meus medos, falhas e temores
enche meu viver.
A minha vida entrego, pra seguir teus passos,
a Ti me rendo.
Ponte
Possa o mundo ver brilhar a luz,
cantamos para a glória do Senhor Jesus Cristo.
Possa o mundo ver brilhar a luz,
cantamos para a glória do Senhor Jesus.

© 2006 Reuben Morgan e Ben Fielding/Hillsong Publishing
Administrado no Brasil por Cia do Louvor - e-mail: ciadolouvor@uol.com.br
Tradução: Cia do Louvor
Arranjos (adaptação): Pastor Paulo Davi
ESTA LETRA FOI OFICIALIZADA POR HILLSONG PUBLISHING PARA O BRASIL
Usada pela Junta de Missões Mundiais com permissão.