quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Uma história comovente

Num dia cinzento, de uma garoa fria e intermitente na grande Assunção, uma senhora de aparência frágil e desconfiada, trazendo no braço uma pequena criança, se aproximou da unidade do Programa de Educação Pré-Escolar (PEPE) da Igreja Batista La Hermosa, em Lambaré, e pediu para falar com a missionária Educadora.
_ Senhora, por favor, trago a minha filhinha Aramy. – A missionária observou a menina e notou algumas dificuldades e quis saber qual era o seu problema.
_ Aramy nasceu, praticamente, sem concluir a formação dos ossos; é só cartilagens. Tenho andado com ela todos os dias e vivo em função dela. – disse a mãe.
_ Mas, diga-me, em que podemos ajudar? – perguntou a missionária.
_ Aramy tem 5 anos, é assim pequenininha, mas  é muito inteligente. Tem um sonho de assistir aula em uma escola. Eu já tentei colocá-la em todas as escolas da região, mas ninguém quer recebê-la. Será que vocês podem deixá-la assistir as aulas do PEPE? Eu ouvi dizer que aqui tratam as crianças e as pessoas de maneira diferente. Que se preocupam com as pessoas. – O coração da missionária se “derreteu”.
_Vamos fazer o seguinte: a senhora virá todos os dias na próxima semana, e veremos como podemos ajudar. Está bem assim?
Os olhos daquela mãe se encheram de lágrimas; finalmente sua filha não seria mais excluída. Logo, Aramy começou a assistir às aulas e se mostrou muito inteligente, tornando-se líder dos coleguinhas. Em pouco tempo, seus “compañeritos” aprenderam a amá-la e conscientizaram-se de que Deus nos ama como somos.
Aramy se encantava ouvindo as histórias bíblicas e aprendeu os versículos, as letras, os números, a orar e confiar em Deus. Pela primeira vez, ela se sentiu parte de um grupo; se sentiu amada por outras crianças; se sentiu importante. A família de Aramy foi convidada para as reuniões da igreja e, logo, teve um encontro com Deus. Algum tempo depois, o pai de Aramy recebeu uma proposta para um melhor trabalho em uma cidade vizinha, com várias vantagens, mas não aceitou: “Não quero sair daqui, pois nos sentimos amados, respeitados e foi aqui que conhecemos o Senhor”, disse ele.
Amados irmãos, que benção é sentir como Deus trabalha, restaura as vidas das crianças e suas famílias! Deus continua escrevendo outras novas histórias lindas e nós agradecemos por sua participação, orações, palavra de ânimo e por sua oferta!

Pastor Carlos Alberto e Lídia da Silva – Missionários adotados pela IBB
Fonte: Boletim Informativo – 28 de Fevereiro de 2010 – Ano XXVI Edição 09
Igreja Batista Bacacheri - Curitiba-PR



Nenhum comentário: