domingo, 28 de fevereiro de 2010

Terremoto devasta o centro-sul do Chile



Por Sérgio Dias 27 de fevereiro de 2010
.
Um terremoto de 8,8 graus, com duração de um minuto e meio, atingiu às 3h34m deste sábado (27/2) a região centro-sul do Chile. Até o momento, cerca de 700 pessoas morreram, segundo informações de agências de notícias internacionais. O tremor teve intensidade mais forte do que aquele que atingiu o Haiti em janeiro, deixando mais de 200 mil mortos.

As comunicações estão sendo restabelecidas e, por isso, ainda não há informações sobre os missionários de Missões Mundiais em Santiago. Os obreiros que atuam no Norte do país entraram em contato com o casal Pr. Silas e Aldair Gomes, que estão no Brasil em promoção, informando que apesar do susto nada de grave aconteceu com eles.

Devastação na capital Santiago
Com algumas áreas internas danificadas e vidros quebrados, o aeroporto internacional de Santiago foi fechado e todos os voos foram cancelados por pelo menos 24 horas. O tremor já é considerado o maior no país em 25 anos. A presidente do Chile, Michelle Bachelet, declarou estado de catástrofe e pediu que a população não saia às ruas.

O tremor foi sentido até no Brasil. A Defesa Civil de São Paulo recebeu mais de cem chamados, a partir das 3h, de várias regiões da capital, onde o abalo teria sido percebido. Moradores de Cascavel, no interior do Paraná, acordaram apavorados durante a madrugada e foram para as ruas com medo dos tremores.

Segundo o United States Geological Service (USGS, por sua sigla em Inglês), o terremoto teve seu epicentro a 35 quilômetros de profundidade, na região de Bio Bio, a cerca de 320 quilômetros ao sul da capital chilena, Santiago, e a 91 quilômetros ao norte de Concepción, a segunda maior cidade do país, que foi bastante atingida. Algumas horas depois, a região sofreu outros tremores de 6,2 graus. Um edifício de 15 andares e uma ponte velha ruíram, de acordo com a TV chilena.

Tsunamis podem atingiar até o Japão
O epicentro do terremoto aconteceu no mar e tsunamis são esperadas não só na costa chilena, mas em vários países banhados pelo Oceano Pacífico. Os governos americano, japonês, australiano, entre outros países asiáticos e das Américas, já emitiram alertas para os moradores da zona costeira para que deixem suas casas e partam rumo ao interior ou regiões montanhosas.

Ore
Ore pelos chilenos. O momento é de intercessão pelo difícil momento que o país está vivendo. Clame a Deus para que os missionários da JMM em Santiago estejam em segurança.
.


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Não dê um tiro no pé (por Pr Antônio M. Gonçales)


“Sou apaixonado
por missões porque
Deus também o é”

O amor, interesse e vibração por missões que um pastor tem em seu coração será o mesmo de suas ovelhas.
É o pastor que ensina a ovelha a berrar afinado, a comer uma boa grama e trilhar por caminhos seguros.

Ao longo do meu ministério sempre entendi que as ovelhas são boas e, quando bem orientadas e alimentadas, não titubeiam em seguir o seu pastor e seus desafios. Se uma igreja não é missionária é porque seu pastor não tem interesse por missões e, consequentemente, suas ovelhas também não terão.

Mas há alguns aspectos relevantes para levar uma igreja a ser efetivamente missionária.
Aliás, dizer que uma igreja é missionária é redundância.
A igreja é uma instituição Divina, com objetivos bem definidos por Deus, ou seja, se é igreja tem que ser missionária, se não for estará descaracterizada como tal.
A questão é: o quanto ela está sendo missionária?

O grau de envolvimento missionário de uma igreja está ligado à sua gestão. Nem deveríamos fazer tal citação porque a igreja tem sua gestão própria definida na Palavra.
Mas em nossos dias parece-me que a igreja está se distanciando em muito da simplicidade e seriedade da igreja-modelo, chamada primitiva.

Creio que um entendimento claro de que igreja é gente e não prédio nos ajudará a entender o pouco interesse de muitas igrejas por missões.
É comum ouvirmos que estamos no santuário ou templo de Deus. Gente, o véu já foi rasgado e não vamos costurá-lo novamente. Santuário e templo de Deus somos nós! “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1Co 3.16).

Quando uma igreja tem uma visão distorcida sobre o local onde habita Deus, ela passa a dar mais valor ao tijolo do que a pessoas, motivando grandes investimentos em templos suntuosos, por acreditar que Deus vai morar ali. Deus só tem um endereço na terra, VOCÊ, parte do corpo vivo de Cristo.
Em 1993 nossa igreja partiu para a construção rústica e barata de um galpão pré-moldado. Nesse galpão, durante toda a semana, funciona a escola de esportes em que temos um pastor de tempo integral trabalhando com crianças, adolescentes e jovens da comunidade. Também disponibilizamos o local para as escolas municipais e estaduais, cujos pais não têm a mínima
condição financeira de alugar um local para a formatura de seus filhos, um auditório de mil pessoas que ouvem o plano da salvação.
Ali também funciona o restaurante dominical missionário, com mais de duzentos lugares, cujo lucro é direcionado integralmente para missões.
Ah! Usamos o mesmo local para os nossos tradicionais cultos também.
Resumindo: num só local temos os cultos e o restaurante aos domingos, salão para eventos de formaturas e ginásio desportivo. Com um só prédio atingimos quatro objetivos. Com isso dá para aplicar mais em missões.

Outro fator que leva uma igreja a se envolver mais em missões é a visão de colegiado. Temos pastores para crianças, adolescentes, jovens, casais, visitação, implantação de igrejas, administração, missões e exposição bíblica, formando uma equipe de onze pastores. Nenhuma faixa etária fica sem ser pastoreada, cuidada e ensinada a amar missões.

Procuramos desenvolver o interesse cada vez maior do nosso povo por missões, tendo como orientação central a exposição bíblica. Pregamos sequencialmente em livros da Bíblia e não há como evitar textos que não gostaríamos de pregar e nem textos que a igreja também não gostaria de ouvir.

Isso traz maturidade ao povo de Deus, que é ensinado a centrar sua vida e suas ações missionárias na Palavra. As viagens missionárias acontecem em número muito grande durante o ano. O povo, além das ofertas dos dias especiais, participa dos PAMs, e muitos ainda dão o dízimo dos dízimos para missões.

Sou apaixonado por missões porque Deus também o é. Não posso me eximir da responsabilidade de fazer da “minha” igreja uma apaixonada pela obra de transformar vidas em todo o mundo com o poder do evangelho.

Lembre-se, todo pastor é um missionário, sustentado por Deus por intermédio do seu povo, e não amar e investir em uma consciência missionária em seu rebanho é dar um tiro no pé!

“Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (Rm 1.16).

Pr. Antônio Mendes Gonçales
PIB de Atibaia/SP


Fonte: revista PÁTRIA PARA CRISTO - Ano LXII nº 248

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Desafiando os Gigantes (filme)



Título original: Facing the Giants


Sinopse: Nos seus seis anos como técnico de futebol americano de uma escola, Grant Taylor nunca conseguiu levar seu time Shiloh Eagles a uma temporada vitoriosa. E ao ter que enfrentar crises profissionais e pessoais aparentemente insuperáveis, a idéia de desistir nunca lhe pareceu tão atraente. É apenas depois que um visitante inesperado o desafia a acreditar no poder da fé que ele descobre a força da perseverança para vencer.

Inspiração para o jogo da vida!

Nunca desista.
Nunca volte atrás.
Nunca perca a fé.

Mesmo quem não entende nada de futebol americano, pode se emocionar com essa produção que tem um tema universal que, aplicado ao esporte, consegue angariar um bom apelo.

Duração aproximada: 112 minutos
Ano de produção: 2007


sábado, 20 de fevereiro de 2010

INDÍGENAS: Elas também são chamadas

Quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010 - Rinaldo de Mattos


A Sociedade Xerente sempre foi bastante machista, com todo o respeito, e as mulheres simplesmente acompanhavam, de longe, com raras exceções, o desenrolar dos acontecimentos sociais e políticos. Mas, as coisas estão mudando. Na aldeia Brejo Verde (Mrãirê) a 80 km da cidade, por exemplo, onde trabalha nosso colega Pr. Mário L. G. Moura e onde teve início uma nova igreja sob a liderança espontânea de José Kumrĩzdazê, com cultos todos os sábados e domingos, as mulheres resolveram fazer também sua própria reunião todas as terças-feiras. Na aldeia Salto, onde trabalhamos, uma mulher dirigiu o culto, pela primeira vez, na ausência do Dirigente e seu Vice. E ela, Betânea Kuzadi, o fez com desenvoltura. Não somente dirigiu, mas usou da oportunidade para exortar os irmãos sobre como viver a vida cristã. Tudo isso sob o "pano de fundo" da crença Xerente de que a geração de uma criança, no ventre materno, depende apenas da semente masculina. A mulher é somente o invólucro onde a criança é gerada, diz a crença. Há, inclusive, uma expressão popular, um tanto depreciativa em relação ao sexo feminino, que diz: "Pikõ tô sakukrê si" 'A mulher é somente a vasilha'. E essa "sentença" sobre a mulher Xerente sempre a deixou para trás, em termos de liderança. Com a nova consciência, elas estão aprendendo que "Waptokwazawre Damã, pikõ sakukrê si kõdi". 'Para Deus, a mulher não é, de modo algum, somente a vasilha.' Elas estão entendendo que Deus chama homens e mulheres para o seu trabalho. E esse é um novo sinal no desenvolvimento da igreja Xerente e, por que não dizer, um sinal também de resgate da dignidade feminina. Louvado seja Deus!
.



sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

UM ATEU CANTA NO CORO DA IGREJA (por Israel Belo de Azevedo)


Brian Eno, que não crê em Deus, disse:
"Faço parte de um coral gospel. Sabem que sou ateu, mas são muito tolerantes. Em última análise, a mensagem da música gospel é a de que tudo vai ficar bem.
Se você ouvir milhões de discos gospel -- eu ouvi -- e tentar destilar o que existe de comum a todos eles, é essa sensação de que podemos triunfar de alguma maneira.
Também envolve a perda do ego, dizendo que se pode vencer ou superar as coisas abrindo mão do individualismo e se tornar parte de algo melhor.
Ambas as mensagens são completamente universais e pouco se relacionam à religião ou a uma dada religião. Relacionam-se a atitudes humanas básicas, e você pode ter essa atitude, e portanto cantar gospel, mesmo que não seja religioso".

Brian Eno, 61 anos, é o produtor que revolucionou a chamada música pop nos anos 70 do século passado.
Brian captou parte do Evangelho.
E por que captou só parte do Evangelho?
A ( ) O ateísmo de Brian Eno o impede de ver TODO o Evangelho.
B ( ) Os evangélicos só mostram PARTE do Evangelho.

Israel Belo de Azevedo

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Curso de extensão em: DANÇA CRISTÃ



Luana Zeglin (luadance@hotmail.com) estará coordenando um curso de extensão universitária na faculdade Spei [Rua Barão do Rio Branco nº 261, Curitiba _ (41)3321-3124].

O nome do curso é "Dança cristã" uma proposta totalmente nova e maravilhosa!
O curso trata assuntos de dança, ministério e fundamentos bíblicos, e qualquer um pode fazer, a partir de 17 anos.
Começa em Abril.

Clique no folder abaixo para visualizar mais informações!!!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

De volta do Haiti (por Ailton Figueiredo)

Por Ailton Figueiredo 12 de fevereiro de 2010

Estão de volta ao Brasil os pastores Mayrinkellison Wanderley, Ailton Desidério, Paulo Albuquerque, David Pina e Roberto Amorim. O grupo esteve, entre os dias 2 a 12 de fevereiro, no Haiti e levou mais uma ajuda dos batistas brasileiros ao povo haitiano.

Durante a visita, o Pr. Paulo Albuquerque adoeceu e foi atendido na Embaixada do Brasil, que o encaminhou para a Base da Força Aérea Brasileira – FAB – instalada no Haiti, onde recebeu a medicação adequada. Segundo o Pr. Mayrinkellison, a ida da equipe à Base foi providencial, pois ali ouviram histórias de sofrimento e solidão do povo haitiano. Os soldados da FAB fizeram mais de 100 operações, inclusive com amputações, durante o tempo que os pastores ali estiveram.

O grupo visitou os locais por onde passou na viagem anterior e viu o sofrimento do povo, visitou a comunidade de Fort National, na periferia de Porto Príncipe. “Ali a destruição foi completa. Nenhuma casa de pé, ninguém morando; uma verdadeira cidade-fantasma. Em pé, solitário, o grupo viu um homem que olhava obliquamente para uma casa. Indagado, ele respondeu: 'Eu venho aqui todos os dias desde 12 de janeiro, pois ali embaixo estão meus dois filhos, que ainda não pude sepultar', conta o Pr. Mayrinkellison. Segundo relato de nosso obreiro da terra Pr. Jonathan, o Pr. David Pina – Representante da JMM – chorou! Não apenas chorou, mas gritou desconsoladamente, frente àquele quadro apocalíptico.

O Pr. Mayrinkellison conversou com o Pr. Jonathan sobre os planos de Missões Mundiais para o Haiti e ouviu dele as necessidades mais urgentes. Assim foi reafirmado o interesse e intenção da JMM em ajudar o Haiti; não apenas nesse momento, mas com um plano mais duradouro de reconstrução do país, através de nossas igrejas batistas ali localizadas.

Os pastores foram abençoados com uma visita que fizeram à Base da Marinha do Brasil no Haiti onde conversaram com alguns irmãos que fazem parte da Força de Paz. Eles foram bem recebidos por irmãos da Assembleia de Deus, por um sargento batista e por um Promotor de Missões e Embaixador do Rei no Haiti. A presença deles, ali, gerou o cadastramento da igreja do Pr. Jonathan que será beneficiada com a distribuição de víveres.

Os pastores, representando suas igrejas, doaram à AIBHMI um gerador, um inversor de energia, baterias para carga de energia e um kit de internet/telefone. Com isso, nossos irmãos agora poderão não apenas ter energia elétrica, como também se comunicar conosco com rapidez e qualidade. Além disso, deixaram ofertas em roupas, calçados, remédios, comida, água e outras doações para nossos obreiros.

“Isso foi um sinal do Reino de Deus sobre a vida de nossos irmãos e não há preço que pague! Agradecemos aos colegas que, com despreendimento, puseram em prática o princípio de 2Coríntios 9. Essa oferta foi além daquilo que a JMM e outras igrejas batistas do Brasil já haviam enviado. Elas foram entregues aos nossos irmãos haitianos logo no nosso primeiro dia, para ajudá-los na compra de itens de primeira necessidade. Também os pastores Ailton Desidério e Paulo Albuquerque deram atendimento pastoral e ao mesmo tempo psicológico, cuidando da saúde emocional e espiritual de nossos obreiros haitianos”, conta o Pr. Mayrinkellison.

Dia de jejum e oração no Haiti

O grupo de pastores batistas brasileiros terminou sua jornada no Haiti visitando um dos líderes evangélicos do país, o Pr. Hérode Guillomettre, representante da Missão às Américas. Ele contou de sua dor, dos trabalhos que foram empreendidos, da luta espiritual que tem sido travada há séculos e que agora parece estar se definindo. Segundo o Pr. Guillomettre, os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário caíram no Haiti. Mas o poder religioso também caiu.

Segundo o líder evangélico, as estruturas dos poderes foram totalmente abaladas e se inicia a reconstrução de uma nova nação. Não se pode construir algo novo sobre fundamentos velhos. Agora é a hora do Haiti! É a hora de profetizar sobre essa nação, para que seus “ossos secos” possam ganhar nova vida. Sim, é hora de defender um novo Haiti. E acreditamos que a hora realmente chegou...E já começou, pois o presidente do Haiti, num ato inédito na história do país, decretou o dia 12 de fevereiro como dia de Jejum e Oração nacionais. E as igrejas realizarão uma jornada de oração e jejum dos dias 12 a 14 de fevereiro e cruzada evangelística dos dias 14 a 17, pois não é possível reconstruir o Haiti apenas com ajuda humanitária e financeira, mas com joelhos dobrados e submissão a Deus. Todos os crentes do Brasil estão convidados a orar e jejuar durante esses três dias em favor do Haiti. A visita encerrou com um culto doméstico, com oração, cânticos e leitura de salmos. Foi realmente a “chave de ouro” para fechar nossa estada nesse sofrido país.

O Pr. Mayrinkellison, Coordenador de Missões da JMM e o organizador da viagem, enviou seu último informe sobre a viagem ao Haiti com uma bênção e uma palavra de gratidão a todos os irmãos e irmãs brasileiros que se engajaram e se engajarão nesse processo de reconstrução nacional.

“Mesi! Bondye beni w anpil”
(Obrigado! Deus os abençoe muitíssimo!).

.
.