quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

"Dá não, senhor"

Um sujeito colocou seu sítio à venda. Logo no primeiro dia apareceu um interessado. "Bom dia, estou em busca de uma área para plantio, como é a terra daqui, dá milho, dá feijão?" Perguntou-lhe o visitante. "Dá não, Senhor", respondeu o proprietário. "E mandioca?" indagou novamente o comprador. "Dá não, Senhor." "Nem mandioca?" Espantou-se o homem. "Dá não, Senhor" disse o vendedor.

O interessado não era um grande conhecedor da terra, mas conhecia um pouco do assunto, olhou a terra ao seu redor e pareceu-lhe terra boa. Coçou a cabeça, como que para ajudá-lo a entender o caso, e fez a pergunta derradeira: "E se plantar?" O vendedor então respondeu "Ah...moço, daí é uma maravilha. Daí dá de tudo. Dá batata, milho, feijão, cana, capim, frutas, e até mandioca".

Às vezes, nós reclamamos porque não colhemos bons frutos. O lar vai mal, a sociedade vai mal, a igreja vai mal, nós vamos mal, porque não estamos colhendo bons frutos. Mas fica a pergunta: "e se plantarmos?".

Será que nós estamos plantando alguma coisa? O que estamos plantando? E quanto estamos plantando? Paulo diz: "Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará" (2 Co 9.6). Portanto, antes de reclamarmos, examinemos o nosso plantio!

É fácil reclamar, lamentar, culpar os outros, e continuar numa situação de comodismo, parado, sem plantar nada...terreno em que não se planta, enche de tiririca... Plante muitas sementes boas no seu lar, seu casamento, na criação de seus filhos, no trato com os vizinhos, na sua comunidade, na sua igreja!

Pensemos em missões. Que frutos espirituais se produz no Rio Grande do Sul, no Acre, no Ceará, em Minas Gerais? Depende: se não plantar, não dá nada, mas se plantarmos, colheremos muitos frutos. Algumas lavouras dão frutos muito rapidamente, outras demoram alguns anos, porém, mais cedo ou mais tarde é certo que colheremos. Portanto, vale a pena plantar!

É preciso semear a boa semente do evangelho de Cristo nos grandes centros, nas cidades desenvolvidas, onde parece árido, mas há corações sedentos de salvação. Nada de desânimo, precisamos semear!


Extraído do boletim da Campanha de Missões Nacionais

Nenhum comentário: