domingo, 27 de dezembro de 2009

Viver é esforçar-se (por Israel Belo de Azevedo)

.
.
O ensaio da orquestra vai começar.
Os músicos, todos tocando de graça, vão chegando.
Ao longo, podem-se ouvir os acordes ainda pouco sonoros.
No dia do espetáculo, os ouvidos se encantarão, graças aos esforços dos instrumentistas.
Eles nos ensinam que a música demanda muito suor, sacrifício até.
Uma vida que vale a pena demanda muito esforço, embora tantos insistam que as coisas sejam fáceis.


Bom dia,
Israel Belo de Azevedo

sábado, 26 de dezembro de 2009

Cinco ciganos são batizados em Curitiba

Segunda-feira, 7 de dezembro de 2009


Dia 6, os missionários que atuam entre os ciganos de Curitiba, PR, celebraram um feito inédito: o maior batismo de ciganos já ocorrido na denominação. Cinco ciganos desceram às águas batismais em programação ocorrida na Igreja Batista do Bacacheri, igreja-mãe da frente missionária entre os ciganos portugueses.

Os batismos encerraram um final de semana intenso. Igor e Sayuri Shimura, responsáveis pelo trabalho com a etnia cigana, estiveram envolvidos em uma viagem missionária a Prudentópolis e Guamiranga, no interior do Paraná. Nessa ocasião, dois acampamentos foram impactados com pregações contextualizadas e testemunhos de ciganos convertidos, além de atividades com crianças.

Segundo Igor, geralmente os ciganos, por causa de sua religiosidade mística e sincrética no Brasil, "aceitam Jesus" com facilidade. Porém, são considerados convertidos somente quando percebem mudança de vida e comprometimento com o Reino. "Louvamos a Deus porque depois de sete anos e meio de árduo trabalho, podemos ver o batismo de ciganos que não somente entregaram suas vidas a Cristo, mas estão vivendo o Evangelho. Não deixaram de ser ciganos, mas deixaram o pecado. Agora são ciganos de Cristo! Glória ao Nome do Senhor Jesus Cristo hoje e sempre", concluiu Pr. Igor.




quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

"Dá não, senhor"

Um sujeito colocou seu sítio à venda. Logo no primeiro dia apareceu um interessado. "Bom dia, estou em busca de uma área para plantio, como é a terra daqui, dá milho, dá feijão?" Perguntou-lhe o visitante. "Dá não, Senhor", respondeu o proprietário. "E mandioca?" indagou novamente o comprador. "Dá não, Senhor." "Nem mandioca?" Espantou-se o homem. "Dá não, Senhor" disse o vendedor.

O interessado não era um grande conhecedor da terra, mas conhecia um pouco do assunto, olhou a terra ao seu redor e pareceu-lhe terra boa. Coçou a cabeça, como que para ajudá-lo a entender o caso, e fez a pergunta derradeira: "E se plantar?" O vendedor então respondeu "Ah...moço, daí é uma maravilha. Daí dá de tudo. Dá batata, milho, feijão, cana, capim, frutas, e até mandioca".

Às vezes, nós reclamamos porque não colhemos bons frutos. O lar vai mal, a sociedade vai mal, a igreja vai mal, nós vamos mal, porque não estamos colhendo bons frutos. Mas fica a pergunta: "e se plantarmos?".

Será que nós estamos plantando alguma coisa? O que estamos plantando? E quanto estamos plantando? Paulo diz: "Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará" (2 Co 9.6). Portanto, antes de reclamarmos, examinemos o nosso plantio!

É fácil reclamar, lamentar, culpar os outros, e continuar numa situação de comodismo, parado, sem plantar nada...terreno em que não se planta, enche de tiririca... Plante muitas sementes boas no seu lar, seu casamento, na criação de seus filhos, no trato com os vizinhos, na sua comunidade, na sua igreja!

Pensemos em missões. Que frutos espirituais se produz no Rio Grande do Sul, no Acre, no Ceará, em Minas Gerais? Depende: se não plantar, não dá nada, mas se plantarmos, colheremos muitos frutos. Algumas lavouras dão frutos muito rapidamente, outras demoram alguns anos, porém, mais cedo ou mais tarde é certo que colheremos. Portanto, vale a pena plantar!

É preciso semear a boa semente do evangelho de Cristo nos grandes centros, nas cidades desenvolvidas, onde parece árido, mas há corações sedentos de salvação. Nada de desânimo, precisamos semear!


Extraído do boletim da Campanha de Missões Nacionais

domingo, 13 de dezembro de 2009

Missões e Família (por Pr. Manoel Thé)

MISSÕES NACIONAIS 2004
.
As páginas bíblicas são ricas em exemplos para a família. As famílias cujos líderes aplicaram suas vidas no fazer a vontade de Deus foram abençoadas em todos os sentidos. Vamos a alguns exemplos. Temos a casa de Josué. Não nos consta que a prole de Josué tenha passado misérias materiais. Não nos consta também que Samuel, cuja vida foi totalmente separada para o serviço de Deus, tenha vivido também dificuldades materiais.

Essas afirmações devem suscitar uma pergunta: Por que o escritor destas linhas faz tais afirmações? A razão é bem simples. Ao longo de nossa vida temos contemplado pais e mães que distanciam seus filhos da consagração ao serviço do Senhor, julgando que se essa for a escolha deles, um destino de obscuridade, de pobreza e de marginalidade social lhes estará reservado. É um erro diabólico, pois além de não ser verdade, é exatamente o contrário que acontece.

Façamos agora uma afirmação mais categórica. Se um casal quer garantir o futuro dos filhos no sentido pleno da palavra, ou seja, que tenham boa conduta moral, espiritual, sucesso no casamento, finanças sob controle, e sendo esse casal um casal cristão, a coisa mais recomendável que devem fazer é tornar sua casa um centro de missões. Tal providência é infalível. Apresentemos algumas justificativas para tal afirmação.

Em primeiro lugar, tal medida contará com a bênção e aprovação divina. Se Deus nos envia a todos os povos como poderá negar-nos a bênção por obedecer-lhe? Isso seria contrariar-se a si mesmo, o que seria um absurdo acontecer com a pessoa de Deus. Em segundo lugar, promover Missões é algo imensurável em termos de ideologia, e sempre que uma ideologia sadia é colocada para nossos filhos suas forças se redobram. Em terceiro lugar isso lhes dá um propósito para viver. A maioria dos jovens que hoje entra nas drogas, nos vícios, porque não encontram sentido para a vida. Que sentido há em buscar riqueza, fama, posição social? Se tais coisas trouxessem sentido ao viver, os que as conquistaram não estariam nas páginas dos jornais como violadores da lei, como se vê acontecer. Para termos bem claro que o que afirmamos é verdade, leia o livro de Eclesiastes. Salomão, o seu autor, buscou riqueza, fama, sabedoria, ciência, e no final da vida escreve-nos avisando que tais buscas não dão sentido à vida. É isso o que ele quer dizer quando afirma; “Tudo é vaidade”.

E agora vamos ao fecho final. Quer garantir a honradez, a espiritualidade, e tudo que é bom para seus filhos? Introduza revistas missionárias em seu lar. Adote missionários para a oração. Leve seus filhos a adotarem com pequena quantia uma parceria missionária. Que cada um tenha o seu missionário para poder compartilhar com os demais da família as bênçãos que Deus derramou sobre seu missionário. Que o desafio torne-se uma questão pessoal para cada um. Que a reciclagem de materiais, que os cofres para guardar moedas, que tudo convirja para esse fim. O irmão nem pode imaginar o tamanho da bênção em assim agir! Não pode sequer imaginar os resultados saudáveis dessas medidas! O binômio “família - missões” veio de Deus, e Deus nunca erra. Deus não mandou um qualquer para morrer por nós. Mandou seu Filho. O exemplo começou no seio da família divina, começou no céu, e tudo que nos vem de lá é elevado, elevadíssimo mesmo! Lares de nossa igreja, vamos começar? Famílias, adotem já um missionário!
Pr. Manoel Thé
Igreja Batista Ebenézer, São Paulo, SP

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Nem uma unha ficará (editorial)

Min. Albert Martins
.
.
"Então o faraó mandou chamar Moisés e disse: 'Vão e prestem culto ao Senhor. Deixem somente as ovelhas e os bois; as mulheres e as crianças podem ir'.
Mas Moisés contestou: 'Tu mesmo nos darás os animais para os nossos sacrifícios e holocaustos que ofereceremos ao Senhor.
Além disso, os nossos rebanhos também irão conosco; nem um casco de animal será deixado. Temos que escolher alguns deles para prestar culto ao Senhor, o nosso Deus, e, enquanto não chegarmos ao local, não saberemos quais animais sacrificaremos'.
Mas o Senhor endureceu o coração de faraó, e ele se recusou a deixá-los ir.
Disse o faraó a Moisés: 'Saia da minha presença! Trate de não aparecer nunca mais diante de mim! No dia em que vir a minha face, você morrerá'"
(Êxodo 10:24-28)

O texto acima trata de um diálogo tenso entre Faraó e Moisés. Mais tenso para Faraó do que para o servo de Deus. Acontece após a nona praga, a das trevas. Sabendo que Moisés era um libertador instituído pelo Senhor, o rei do Egito (que se considerava um deus) tenta negociar, propondo algo diferente dos planos do Senhor para Seu povo. A resposta de Moisés é categórica: "Nem uma unha ficará". Afinal, eles iriam oferecer culto ao Deus de Israel ou, como diriam algumas versões bíblicas, celebrar festa ao Senhor. Faraó sempre fizera oposição a que o povo de Deus saísse do Egito. Afinal, o povo era escravo ali - vivia debaixo de seu domínio. E já no final do processo, vendo ser inferior ao poder de Deus, tentava fazer com que Seu plano não se cumprisse por completo.

Satanás é assim: tenta fazer com que você e eu jamais saiamos da escravidão. Por isso, tome uma decisão: nunca negocie com ele. Tudo o que ele quer é que a vontade do Pai não se cumpra na sua vida. Faça como Moisés e diga: vou celebrar festa ao meu Senhor. Minha vida por inteiro é dEle. Nem uma unha (ou área da minha vida) ficará. Meus pais, meu trabalho, a família que eu vou constituir, meus bens, tudo pertence ao meu Senhor. E deixe que Deus cuide do resto. Que Ele nos abençoe!

Adaptado - Cristianismo Hoje
(Fonte: Boletim Dominical da PIB de Curitiba, 29/11/2009)

sábado, 5 de dezembro de 2009

Campanha de Missões 2009 - Paraná

Missões Estaduais 2009

JUNTANDO FORÇAS PARA RESGATAR VIDAS!


Divisa: "Para lhes abrir os olhos a fim de que se convertam das trevas para a luz, e do poder de Satanás para Deus" (Atos 26:18)