sexta-feira, 10 de julho de 2009

Ansiedade (por Delane Souza)

Érico Veríssimo escreveu: “Só existem dois dias do ano sobre os quais nada pode ser feito. Um deles se chama ontem e o outro amanhã. Portanto, hoje é o dia certo para você amar, sonhar, ousar, produzir, e acima de tudo acreditar!”.

O ontem, já passou. Não podemos viver presos a ele, pois não temos condições para mudá-lo. O amanhã, ainda não chegou.

Viver antecipando os fatos e o tempo, é viver dominado por um sentimento definido como “estresse antecipado”, que é um estado de ansiedade.

A ansiedade, segundo a psiquiatria médica, é uma sensação de receio e de apreensão, sem causa evidente, e que pode causar fatores que sentimos no nosso organismo, como a aceleração dos batimentos cardíacos (taquicardia), o suor excessivo (sudorese) e outros.

A ansiedade é definida, ainda, como uma situação de aflição, angústia e agonia, que é causada pela incerteza ou receio. Daí, a definição de “estresse antecipado”. A pessoa sofre sem um motivo evidente. Quer antecipar o futuro, o amanhã.

Ela conduz a pessoa a uma sucessão de raciocínios lógicos e ilógicos, reais e irreais. Um pensamento vai se somando a outro, até que chega o momento da realidade, que pode trazer frustrações. A ansiedade alimentada pode levar ao estado depressivo.

O que fazer quando este sentimento nos aflige e tira a nossa paz, prejudicando, até, a nossa confiança em Deus? Qual é a terapia?

O sábio Salomão, em Pv 12.25, ensina: “A ansiedade no coração do homem o abate, mas uma boa palavra o alegra”. Ele receita “uma boa palavra”.

O apóstolo Pedro ensina que, para nos livrarmos da ansiedade, devemos lançá-la sobre Deus, porque Ele tem cuidado de nós. (1 Pe 5.7)

Jesus Cristo, do alto da sua sabedoria e autoridade, disse, nos textos registrados por Mateus (6.25-28) e Lucas (12.22-26); “não estejais ansiosos…” E dá, pelo menos, quatro motivos:

1. Não há razão para estarmos ansiosos, se confiamos em Deus.

2. Não podemos, sozinhos, satisfazer a nossa ansiedade.
3. Temos muito valor para Deus.

4. E, com certeza, Ele cuida de nós.

O apóstolo Paulo, fiel às palavras do divino Mestre, aconselhou à igreja de Filipos (e recomenda a todos nós): “Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças”. (Fp 4.6)

A ansiedade tem se tornado o grande mal da humanidade, atingindo todas as faixas etárias, desde a mais tenra idade. Alguns precisam de medicamentos feitos pelos homens. Mas, com certeza, todos, precisam seguir a terapia ensinada pela Palavra de Deus.

Delane Souza

(Fonte: site PIB de Vitória - Pastoral do dia 03/05/2009)

Nenhum comentário: