domingo, 14 de dezembro de 2008

MISSÕES NO NÍGER: "Ai de mim se não pregar o evangelho!" (testemunho)

Rio de Janeiro, 17 de Agosto de 2008.

"Contudo, quando prego o evangelho, não posso me orgulhar, pois me é imposta a necessidade de pregar. Ai de mim se não pregar o evangelho!" (I Coríntios 9:16)

Quando leio este versículo sinto-me envergonhado, pois não posso simplesmente achar que pregar o evangelho é obrigação de determinados cristãos e não minha! Quando o Senhor me chamou para ir à África, senti-me muito ansioso, porém amedrontado pois sabia que era uma grande responsabilidade. Quando cheguei no Senegal, país onde aprendi a língua francesa (língua oficial das países da região onde trabalharia), senti de perto a grande batalha que deveria enfrentar ali naquela terra carente do Deus libertador e amoroso. Depois de alguns meses de estudo e imersão na cultura africana, segui juntamente com mais três colegas para uma terra seca e sedenta de Deus. Chegamos como pioneiros dos batistas brasileiros num país um tanto quanto misterioso e diferente daquilo que conhecíamos, mas ao descer do avião dedicamos àquela terra ao Senhor, pedindo suas bênçãos e a vitória sobre o mal que prevalecia naquele lugar! Deus foi fiel em todos os momentos e como sempre, não nos abandonou mas fez com que seu nome fosse glorificado naquela terra. O Nìger é um país desértico, tendo o deserto do Saara prevalecendo em todo o país, as tempestades de areia formam um lindo espetáculo, mas acabam trazendo muita areia para as partes ainda não desertas do país. No ano de 2001 o Níger foi considerado um dos países mais quentes do mundo, atingindo a uma temperatura de aproximadamente 60ºC. Nos anos de 2005 e 2006, respectivamente, o Níger foi considerado o pior país do mundo para se viver e o país com o menor índice de desenvolvimento social, hoje é considerado o segundo país mais pobre do planeta. Um país mulçumano que anseia por conhecer a verdade e não a encontram. Pouquíssimos missionários estão dispostos a viver naquele país devido às condições precárias existentes, os que lá moram acabam fixando moradia na capital ou outras cidades que tenham energia e água corrente. Moramos numa aldeia chamada Gothèye, a 75 km da capital (Niamey) e lá pudemos dar início a primeira igreja da região. Muitas pessoas começaram a se juntar a nós e muitas conversões e batismos foram acontecendo. Centenas de crianças ouviram a mensagem da salvação e aquela aldeia não alcançada pelo evangelho já não pode mais ser considerada assim. Atingimos muitas outras aldeias vizinhas, onde centenas e centenas de pessoas ouviram falar de Jesus. Projetamos diversas vezes o filme Jesus na língua local (zarma), distribuímos fitas k7 com histórias cronológicas da Bíblia, realizamos atividades com crianças nas ruas e escolas, escolinha de futebol, projeto de horta comunitária, estudos bíblicos, cooperativa de mulheres fabricando pães, palestras de conscientização para mães com crianças desnutridas, doação de alimentos durante a seca e fome, distribuição de medicamentos, visita de voluntários profissionais em diversas áreas (nutricionista, médicos, enfermeiros, podólogos, esportistas, etc). O Senhor agiu e continua agindo no Níger e muitos brasileiros têm feito parte desta obra. O Senhor procura não apenas alcançar os perdidos, mas também trabalhar em nossas vidas e Ele tem me proporcionado muitas experiências íntimas com Ele também para que eu cresça e amadureça, experimentando-O profundamente. Não fique fora daquilo que o Senhor tem feito através do mundo, ainda falta você para fazer parte dessa maravilhosa obra. Continue orando, contribuindo e fazendo missões. Eu e minha esposa Anne estamos no Rio de Janeiro, nos preparando no Seminário Teológico Batista, para em breve retornarmos ao campo missionário com um novo ministério, o da Tradução Bíblica aos povos não-alcançados!
Forte abraço,
Filipe Silva dos Santos



Maiores informações sobre Projeto Radical (Voluntários sem Fronteiras) acesse:
Sobre Tradução Bíblica Projeto Visão 2025 acesse: http://www.missaoalem.org.br/visao2025/

Nenhum comentário: