domingo, 28 de dezembro de 2008

É TEMPO DE AVANÇAR: O Brasil tem sede de Deus. Quem terá compaixão?

O tema da campanha deste ano desafia os batistas brasileiros a saciar a sede espiritual de milhões de pessoas que vivem em trevas na nossa pátria.

Missões Nacionais tem planejado de forma arrojada para avançar na plantação de igrejas objetivando alcançar todo o Brasil com o evangelho do Senhor Jesus Cristo. Nossa meta é que todas as pessoas em nossa pátria sejam evangelizadas e discipuladas.

Para tanto, almejamos iniciar 5 mil novos projetos missionários nos próximos 5 anos. O envolvimento das igrejas batistas no levantamento de ofertas nesta campanha é fundamental para o envio de novos missionários ao campo para plantação de igrejas multiplicadoras.

O alvo de 9 milhões nos permitirá manter os projetos atuais e o envio de mais 200 novos missionários ao campo. Se todas as igrejas se envolverem nesta campanha conseguiremos atingir o alvo e executar todo o planejamento de Missões Nacionais para o ano de 2009.

Nas últimas campanhas o investimento médio de cada batista foi de R$ 5,00. Ou seja, cada batista investiu em média R$ 0,41 (quarenta e um centavos) ao mês em Missões Nacionais. É muito pouco diante do desafio que temos.

Conquistar a pátria para Cristo requer muito mais de cada um de nós.

O comando do Senhor Jesus e a urgência da obra nos impõem uma resposta na mesma proporção. O investimento missionário representa nossa disposição em avançar na conquista de almas para o Senhor Jesus.

Sem compaixão por aqueles que estão sedentos da Palavra de Deus não faz sentido investir em missões. Investir por uma simples obrigação denominacional não corresponde com o espírito missionário do Novo Testamento.

A motivação para se investir em missões deve ser fruto do compromisso que temos com aquele que deu a sua vida por nós na cruz e por amor aos que perecem sem Cristo.

Em missões precisamos fazer o melhor e dedicar nossas vidas sem reservas para o que o Senhor tem nos convocado.

A motivação deve ser a paixão que arde no coração dos que foram tocados pelo Espírito Santo e compreenderam a dimensão da Grande Comissão.

Se falharmos, milhões se perderão para sempre nas garras daquele que veio matar, roubar e destruir.

Rogamos ao povo batista brasileiro que, unidos no propósito de conquistar a pátria para Cristo, avancemos em oração, evangelizando, discipulando e plantando igrejas multiplicadoras.

Você terá compaixão?

Pr. Fernando Brandão
(Diretor Executivo de Missões Nacionais)
2008

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Pastor Waldemiro Tymchak (biografia)

Waldemiro Tymchak nasceu no dia 15 de outubro de 1937, no Paraná. Seu pai, Basílio Tymchak, era um pregador leigo, natural da ex-União Soviética. Sua mãe, D. Teodora Tymchak, nasceu na Romênia. Era uma lutadora, pois teve de sustentar a família após ficar viúva, ainda jovem.

O garoto Waldemiro Tymchak sempre foi bom aluno, aplicado e disciplinado nos estudos. Aos 12 anos perdeu o pai, mas não a influência e o testemunho de cristão que recebera dele. Seu ministério teve lugar entre o povo eslavo. Por isso, o adolescente Waldemiro orava e cantava em russo fluentemente. Ele foi batizado na Igreja Russa, onde tocava banjo, bandolim e pistão. Na igreja foi líder de adolescentes e jovens.
.
A família Tymchak residiu inicialmente em São José dos Pinhais, tendo se mudado depois para a capital, Curitiba. Na Primeira Igreja Batista de Curitiba, onde foi membro, conviveu com grandes líderes batistas, como Walter Kaschel, Harald Schally e Artur Gonçalves.
.
Na vida profissional seguiu as orientações do pai quanto a ter uma profissão e tornou-se alfaiate, atividade que exerceu até os 23 anos. “Bába” (que em búlgaro significa “vovó”) o acordava às 3 horas da madrugada e ele trabalhava até ao meio-dia. Depois do almoço, ia para a escola. Todo este esforço era necessário porque, sendo o filho mais velho, a responsabilidade pelo sustento da família após a morte do pai recaiu sobre seus ombros. Ele aprendeu a depender muito de Deus.
.
O jovem Waldemiro Tymchak cursou dois anos de estudos na Universidade Federal do Paraná, mas os interrompeu porque Deus o chamava para o ministério. Saiu da universidade e ingressou no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, no Rio de Janeiro. Durante os estudos no seminário, foi sustentado pela Primeira Igreja Batista de Curitiba. Como seminarista, serviu na Igreja Batista do Calvário e na Primeira Igreja Batista de Copacabana, ambas no Rio. Pregava nas favelas do bairro de São Cristóvão e fazia todo tipo de trabalho nas igrejas: cantava no coro (era tenor), pregava ao ar livre, visitava e substituía os pastores no púlpito.
.
Após concluir o curso de Bacharel em Teologia, o Pastor Waldemiro Tymchak viajou para a Inglaterra, para fazer um curso de especialização em Novo Testamento no conceituado Spurgeon’s College, de Londres, onde ganhara uma bolsa. Foi nessa época que visitou a Rússia e, profundamente impressionado com a realidade religiosa, política e social do país de seu pai, escreveu uma série de artigos intitulada “Eu chorei na Rússia”, publicada na época no Jornal Batista.
.
Em 1971, na Assembléia da CBB realizada em Campos, RJ, o Pastor Waldemiro conheceu a jovem Acidália, natural da Bahia, com quem casou-se no dia 20 de janeiro de 1973, no templo da Igreja Batista Sião, em Salvador. Desta união nasceram os filhos Nelson e Thaís.
.
A família Tymchak servia ao Senhor na Igreja Batista Boas Novas quando o Pastor José dos Reis Pereira, presidente da JMM, comunicou ao Pastor Waldemiro a decisão da Junta de Missões Mundiais de convidá-lo para ocupar o cargo de Secretário Geral.
.
O Pastor Waldemiro Tymchak tomou posse no dia 13 de julho de 1979 (na época, a instituição chamava-se Junta de Missões Estrangeiras). Os quase 28 anos à frente de Missões Mundiais representaram um período de grandes realizações e a obra missionária realizada pelos batistas brasileiros deu um salto significativo. Em 1979, eram 56 missionários, em 11 campos. Em 2007, são cerca de 600 obreiros, em 63 campos de 62 países.
.
Nesse período, os batistas brasileiros galgaram vitórias expressivas na evangelização do mundo, alcançando países fechados para o Evangelho, e a realização do trabalho com missionários do próprio país: missionários da terra (autóctones).
.
Atendendo as necessidades dos campos, a Junta criou novas categorias de missionários. Hoje, é possível ir para o campo por períodos que variam de seis meses a dois anos, como é o caso dos temporários, dos voluntários (que financiam sua própria estada onde atuam) e dos missionários de curto prazo. Os fazedores de tenda (trabalhadores que vão para outros países e sustentam-se com suas atividades profissionais) têm sido verdadeiras testemunhas onde o Evangelho não pode ser pregado na sua forma tradicional.
.
Nos últimos anos, o esporte ganhou destaque nas estratégias de evangelização. Através do Programa Esportivo Missionário (PEM) dezenas de pessoas ligadas especialmente ao futebol têm aberto portas para o Evangelho onde, de outra amaneira, seria impossível chegar.
.
Uma das realizações mais importantes implementadas pelo Pastor Waldemiro Tymchak foi o Programa de Adoção Missionária (PAM). Também o Programa de Intercessão Missionária (PIM) foi um projeto que deu certo; hoje, o PIM tem mais de 18.000 pessoas que estão orando pela obra de evangelização mundial.
.
Em parceria com a Junta de Missões Nacionais, a JMM criou o Centro Batista de Treinamento Missionário (CBTM), que preparava aqueles que seguiriam para os campos. Hoje, o preparo missionário é feito no Centro Integrado de Educação e Missões (CIEM), no Rio de Janeiro, um empreendimento desenvolvido em parceria com a UFMBB e JMN.
.
De olho nos desafios deste novo século, a Junta de Missões Mundiais está preparando, no IBER/CIEM, grupos para evangelizar povos não-alcançados na África e na América Latina. Trata-se do Projeto Radical (Voluntários Sem Fronteiras), que faz parte de um novo paradigma missionário para enviar jovens, por um período de até quatro anos, que viverão de acordo com os povos a quem irão anunciar o Evangelho.
.
Sempre foi uma preocupação do Pastor Tymchak aproximar a Junta de Missões Mundiais daquelas que realmente fazem missões: as igrejas. Assim, ele dinamizou a comunicação da JMM, criando novos veículos para alcançar o coração dos batistas brasileiros com os clamores da obra missionária. Sua maior publicação é o Jornal de Missões com uma tiragem bimestral de 160.000 exemplares, em média. O JM substituiu a revista O Campo é o Mundo (que tinha uma tiragem de 15.000 exemplares) e desde 2004 é publicado em parceria com Missões Nacionais. Também em parceria com a JMN, criou a Revista Missiológica, destinada à reflexão e ao estudo das tendências missionárias mundiais. A JMM editada também o informativo A Colheita que é e enviado bimestralmente aos adotantes do PAM.
.
Outros progressos podem ser destacados neste período, confirmando o derramamento das bênçãos de Deus sobre a vida e a obra do Pastor Tymchak. A fim de reunir líderes num espaço de reflexão missionário, o Pastor Waldemiro Tymchak realizou dois fóruns de missões, em 2002 e em 2005. E com a finalidade de despertar vocações e envolver as igrejas e os crentes no trabalho de Missões Mundiais, a JMM realiza, desde 1997, o Proclamai, que em 2007 está celebrando dez anos. Em julho deste ano chegará à marca de 50 congressos missionários realizados.
.
O Pastor Waldemiro Tymchak fez do mundo o seu local de trabalho e realizava diversas viagens no ano. Elas eram para pastorear os missionários nos campos (em 2005 esteve no interior do Níger e na Guiné para apoiar os jovens Radicais,ou seja, hoje chamados de Voluntários Sem Fronteiras); ou para espiar a terra fazendo contatos com líderes nacionais a fim de abrir novos campos. Somente em 2003, pela primeira vez em 23 anos na JMM, viajou na companhia da esposa Acidália (ao Quênia, Tanzânia, Sudão e Egito), viagem patrocinada pela International Mission Board. Em 2004 esteve em alguns países do Leste Europeu, em 2005 visitou os confins da China com um grupo de pastores brasileiros.
.
Ele representava a JMM no Brasil e os batistas brasileiros pelo mundo afora. Em abril de 2004 foi eleito Diretor de Missões da União Batista Latino-Americana; na ocasião da reunião da UBLA, na Colômbia, lançou o desafio de enviar 10.000 jovens para a América Latina em 10 anos. Em 2005 esteve no centenário da Aliança Batista Mundial, na Inglaterra. Em 2004, a Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro o homenageou com o Título de Cidadão do Rio de Janeiro e com a Medalha Tiradentes.
.
Nos quase 28 anos à frente de Missões Mundiais, o Pastor Waldemiro Tymchak venceu as doenças, ficou longos dias fora de casa, enfrentou a hiperinflação... Foi o Diretor Executivo que mais tempo ficou à frente da Junta de Missões Mundiais. Aos 69 anos e com a saúde debilitada, ainda sonhava como um iniciante. Sua morte, ocorrida no dia 20 de abril de 2007, no Rio de Janeiro, encerra um dos maiores capítulos da história de missões dos batistas no Brasil e no mundo. Deixa um legado de realizações que somente a eternidade poderá revelar.

Texto produzido pela Gerência de Comunicação e Marketing da JMM com base em informações escritas pelo Pr. Bill Ichter. Atualizado em 06/02/2007 por Luiz Cláudio Marteletto, da Redação.

Fonte: site da JMM

domingo, 14 de dezembro de 2008

MISSÕES NO NÍGER: "Ai de mim se não pregar o evangelho!" (testemunho)

Rio de Janeiro, 17 de Agosto de 2008.

"Contudo, quando prego o evangelho, não posso me orgulhar, pois me é imposta a necessidade de pregar. Ai de mim se não pregar o evangelho!" (I Coríntios 9:16)

Quando leio este versículo sinto-me envergonhado, pois não posso simplesmente achar que pregar o evangelho é obrigação de determinados cristãos e não minha! Quando o Senhor me chamou para ir à África, senti-me muito ansioso, porém amedrontado pois sabia que era uma grande responsabilidade. Quando cheguei no Senegal, país onde aprendi a língua francesa (língua oficial das países da região onde trabalharia), senti de perto a grande batalha que deveria enfrentar ali naquela terra carente do Deus libertador e amoroso. Depois de alguns meses de estudo e imersão na cultura africana, segui juntamente com mais três colegas para uma terra seca e sedenta de Deus. Chegamos como pioneiros dos batistas brasileiros num país um tanto quanto misterioso e diferente daquilo que conhecíamos, mas ao descer do avião dedicamos àquela terra ao Senhor, pedindo suas bênçãos e a vitória sobre o mal que prevalecia naquele lugar! Deus foi fiel em todos os momentos e como sempre, não nos abandonou mas fez com que seu nome fosse glorificado naquela terra. O Nìger é um país desértico, tendo o deserto do Saara prevalecendo em todo o país, as tempestades de areia formam um lindo espetáculo, mas acabam trazendo muita areia para as partes ainda não desertas do país. No ano de 2001 o Níger foi considerado um dos países mais quentes do mundo, atingindo a uma temperatura de aproximadamente 60ºC. Nos anos de 2005 e 2006, respectivamente, o Níger foi considerado o pior país do mundo para se viver e o país com o menor índice de desenvolvimento social, hoje é considerado o segundo país mais pobre do planeta. Um país mulçumano que anseia por conhecer a verdade e não a encontram. Pouquíssimos missionários estão dispostos a viver naquele país devido às condições precárias existentes, os que lá moram acabam fixando moradia na capital ou outras cidades que tenham energia e água corrente. Moramos numa aldeia chamada Gothèye, a 75 km da capital (Niamey) e lá pudemos dar início a primeira igreja da região. Muitas pessoas começaram a se juntar a nós e muitas conversões e batismos foram acontecendo. Centenas de crianças ouviram a mensagem da salvação e aquela aldeia não alcançada pelo evangelho já não pode mais ser considerada assim. Atingimos muitas outras aldeias vizinhas, onde centenas e centenas de pessoas ouviram falar de Jesus. Projetamos diversas vezes o filme Jesus na língua local (zarma), distribuímos fitas k7 com histórias cronológicas da Bíblia, realizamos atividades com crianças nas ruas e escolas, escolinha de futebol, projeto de horta comunitária, estudos bíblicos, cooperativa de mulheres fabricando pães, palestras de conscientização para mães com crianças desnutridas, doação de alimentos durante a seca e fome, distribuição de medicamentos, visita de voluntários profissionais em diversas áreas (nutricionista, médicos, enfermeiros, podólogos, esportistas, etc). O Senhor agiu e continua agindo no Níger e muitos brasileiros têm feito parte desta obra. O Senhor procura não apenas alcançar os perdidos, mas também trabalhar em nossas vidas e Ele tem me proporcionado muitas experiências íntimas com Ele também para que eu cresça e amadureça, experimentando-O profundamente. Não fique fora daquilo que o Senhor tem feito através do mundo, ainda falta você para fazer parte dessa maravilhosa obra. Continue orando, contribuindo e fazendo missões. Eu e minha esposa Anne estamos no Rio de Janeiro, nos preparando no Seminário Teológico Batista, para em breve retornarmos ao campo missionário com um novo ministério, o da Tradução Bíblica aos povos não-alcançados!
Forte abraço,
Filipe Silva dos Santos



Maiores informações sobre Projeto Radical (Voluntários sem Fronteiras) acesse:
Sobre Tradução Bíblica Projeto Visão 2025 acesse: http://www.missaoalem.org.br/visao2025/

sábado, 13 de dezembro de 2008

Operação Missionária Trans: RIO GRANDE DO SUL

As operações missionárias realizadas pela Junta de Missões Nacionais da CBB, em parceria com convenções estaduais, contando com o trabalho voluntário de crentes de todo o país, neste ano de 2008, marcam a história não apenas da agência missionária dos batistas brasileiros, mas a história da expansão missionária em nossa Pátria.

Pela primeira vez, foram realizadas quatro operações simultâneas em três regiões do país: Sul (Trans Rio Grande do Sul), Sudeste (Trans Paulista) e Nordeste (Trans Rio Grande do Norte e Chapada Diamantina), que somaram mais de 1.700 missionários voluntários inscritos, além de centenas de outros participantes como líderes e irmãos das igrejas locais que deram apoio às operações. Ao todo, 112 localidades receberam equipes de voluntários que trabalharam na evangelização de seus moradores, contribuindo para a plantação e revitalização de igrejas.


A irmã Welbie participou desta OPERAÇÃO MISSIONÁRIA TRANS: RIO GRANDE DO SUL, na cidade de Canoas - bairro Mathias Velho, de 02 a 20 de Julho.


Evangelismo pessoal, estudos bíblicos, cultos na Congregação Batista, Dia da Ação Social, EBF (Escola Bíblica de Férias) foram algumas das ferramentas que Deus usou para alcançar vidas ali naquele lugar.



Decisões e reconciliações aconteceram para glória de Deus, mas ainda há muitos com sede de Deus, carentes de Seu amor. Drogas, batucas (macumbas) e suicídio predominam naquele lugar, por isso ore pelos adultos, crianças e famílias daquela região, em particular pelas pessoas do bairro Mathias Velho (Canoas-RS).





"Porque o que se compadece deles os guiará e os levará mansamente aos mananciais das águas". (Isaías 49:10b)


quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Missões Estaduais 2008: ORE, CONTRIBUA, VÁ!

"Aquele que sai chorando enquanto lança a semente,voltará com cantos de alegria, trazendo seus feixes" (Salmo 126:6)


Contribuindo para a Campanha de MISSÕES ESTADUAIS 2008, você estará abençoando aos missionários e seus projetos, possibilitando a abertura de novos campos missionários.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Chamados para Anunciar o Evangelho

“Certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia”.
(Atos 16:14)


A evangelização é uma ordem expressa e é uma tarefa inacabada. Por isso mesmo, cometida a cada geração. A pregação do Evangelho do Reino é uma das formas, e a principal, para se apressar a volta gloriosa do Senhor Jesus, para o arrebatamento da igreja e implantação definitiva do Reino de Deus, o novo céu e a nova terra, nas quais habitarão a paz, a justiça e o amor.O texto bíblico de hoje é o da história da Igreja de Cristo na era Apostólica, envolve personagens conhecidos como Paulo, Silas e Lídia, a primeira mulher convertida na Europa, onde aprendemos, com clareza, algumas lições, das quais destacamos:

I. O Espírito Santo direciona as obras de evangelização e plantação de Igrejas:
Você que é ou deve ser leitor atento das Sagradas Letras, seguramente já percebeu que o Espírito de Jesus não permitiu a Paulo pregar na Ásia, nem tão pouco na Bitínia, pois o plano de Deus era outro. Paulo sendo um homem de Deus, também foi obediente à visão celestial e, assim Deus abençoou o seu ministério: pois no ministério, tanto a visão quanto o chamado vêem de Deus.

II. A visão e o Chamado vêm de Deus:
Referimo-nos à visão de Trôade, que veio a Paulo, de noite, da parte do Senhor. O que ele viu e ouviu você também pode ouvir: “Passa a Macedônia e ajuda-nos!”. Assim que teve a visão, Paulo concluiu que Deus o chamava para pregar o Evangelho e obedecendo, partiu para aquele destino.Cremos firmemente, que o ministério só pode ser bem-sucedido quando guiado pelo Espírito Santo. É Deus quem opera e o homem coopera. Outro ponto fundamental é ter uma consciência vertical do chamado de Deus; chamando este confirmado pela igreja, pela comunidade dos eleitos. Claro está que Visão e Chamado vêm de Deus e são confirmados pela comunidade dos salvos.

III. Nós pregamos, mas quem convence e converte é o Espírito Santo:
Esta é uma verdade consoladora, a nossa parte é lançar a preciosa semente: pregar, de forma clara e culturalmente relevante, que seja por todos entendida a fim de que possam responder ao SIM de Deus. Semear e regar são obras do homem; germinar, crescer, florir e frutificar é obra de Deus. Quando fazemos bem o que Deus quer da nossa parte o Espírito Santo nunca falhará no que dEle depende. Nós pregamos, mas quem converte é o Espírito. E tudo o que Deus faz dura eternamente.

IV. A Igreja em sua Casa:
Lídia, ao ter o seu coração por Deus aberto, foi convertida: submeteu-se ao juízo da igreja, “se julgais que sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa e aí ficai. E nos constrangeu a isso” (Atos 16:15). Abrir o coração para Jesus e a casa para a igreja trazem bênçãos maravilhosas. Cada crente nascido de novo, é um evangelista. “Quem não evangeliza, termina evangelizado por alguma heresia por aí; quem não é um missionário, transforma-se em campo missionário”.

Quando alguém se torna parte do “povo de Deus”, há muito mais coisas em jogo do que simplesmente atender a um apelo, ir à frente, queimar velhos objetos de idolatria ou começar a participar do culto público. O nosso entendimento de conversão, nesse sentido, é a transformação dos que eram “não-povo” em povo ministrador de Deus, o corpo de Cristo que age, participa e serve (I Pedro 2:10). É uma conversão de egoísmo do egocentrismo, da servidão ao domínio das trevas para o amor ágape, para o discipulado e para o serviço a Jesus Cristo. Essa conversão parte da decisão por meio de um processo de discipulado. O discípulo buscando ministrar em nome de Cristo como seguidor de Jesus. Aliás, poder-se-ia defender que a conversão plena, no sentido bíblico, é um processo tríplice que implica:
1. A conversão a Deus em Jesus Cristo;
2. A conversão a Igreja, o corpo de Cristo;
3. A conversão ao ministério no mundo pelo qual Cristo morreu.
O Senhor ordena que a sua comunidade especial de discípulos vá como testemunha, a Jerusalém, a Judéia, a Samaria e aos confins da terra (Atos 1:8).
Que o Senhor soberano nos abençoe no cumprir tão relevante tarefa.

Pr. Francisco Carlos Côrtes Alves

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Projeto Servo, como posso ajudar?

No sábado do dia 12/07/2008, missionários da CBP e voluntários reuniram-se na Igreja Batista Rio Verde, em Ponta Grossa, para o treinamento do Projeto Servo.

Foram 43 missionários voluntários para participar do Projeto e alcançar cidades para o nosso Senhor Jesus Cristo, juntamente com a equipe do Projeto Vida. Foram 4 cidades: Castro, Guarapuava, Ortigueira e Ponta Grossa.

Não somente eles se dispuseram para o SERVIÇO REAL, mas também igrejas e irmãos que se mobilizaram para doar alimentos e materiais que seriam necessários para o acontecimento deste Projeto.

"A responsabilidade na realização de missões é de cada crente. Conseqüentemente, a base para a obra missionária encontra-se na igreja local que separa, consagra, envia e sustenta os missionários, cabendo à Convenção, através do Departamento de Missões, cooperar com as igrejas para que novas igrejas sejam plantadas. Entretanto, é bom frizar isto: A responsabilidade da obra missionária é da igreja local, através da atuação de cada membro".

Essas foram as palavras escritas no boletim da Igreja Batista Rio Verde que está auxiliando a Congregação Batista Parque Ponta Grossa.



Oremos por cada um desses irmãos e por esse Projeto que aconteceu de 12 à 27 de Julho de 2008.

.
.
.
Sejamos missionários onde estivermos!!!


.
"E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam a paz, dos que anunciam coisas boas!" (Romanos 10:15)





Nely C. dos Santos

domingo, 7 de dezembro de 2008

MINISTÉRIO ATALAIA: Alcançando os abandonados!

"A ti, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel: tu, pois, ouvirás a palavra da minha boca, e lhe darás aviso da minha parte". (Ezequiel 33:7)


Os missionários voluntários Ademir de Ramos Couto e sua esposa Rosenita Freitas Couto, e o evangelista Carlos Couto atendem cerca de 10 casas e têm oportunidade de evangelizar centenas de pessoas a cada semana.
São membros da Igreja Batista de Vila Hauer.



O Ministério Atalaia atua em:
  • Casas de Apoio: com pessoas que vem de vários lugares para tratamento médico em Curitiba;
  • Casas de Recuperação: onde a maioria dos internos não têm condições de voltar ao convívio em sociedade devido à graves problemas mentais;
  • Casas de Repouso para Idosos: onde os moradores sofrem com problemas de saúde e abandono por parte de familiares;
  • Também atua visitando hospitais, cadeias e igrejas fazendo a divulgação do ministério.


Para que o trabalho continue, pedimos a contribuição dos amados irmãos: orando, divulgando e, principalmente, contribuindo financeiramente através da conta de luz (COPEL) ou com doações de roupas e alimentos.


Para mais informações:
(041) 9633-7692



ou entre em contato com a CBP (Convenção Batista Paranaense):
(041) 3362-7878
missoes@batistasparana.org.br


Clique no link abaixo para acessar o site da CBP e fazer sua contribuição:

sábado, 6 de dezembro de 2008

Projeto Vida: ALCANÇANDO OS NÃO ALCANÇADOS (testemunho)

Vou tentar colocar em algumas palavras o que Deus tem me ensinado, coisas que eu nunca antes imaginei viver, as quais Ele só revela quando nos permitirmos servi-lo de todo o coração, o que não é fácil, exige algumas renúncias e sacrifícios, e o mais importante, disposição. Mas isso não é nada se compararmos ao preço pago para que pudéssemos ter acesso à um amor incondicional e à uma vida plena, os quais Deus nos concede deliberadamente.Eu cresci na igreja, desde pequena fui doutrinada à ir aos cultos, decorar versículos e participar dos ministérios. E assim cresci, passei minha adolescência trabalhando na igreja, o que foi bom, foi uma base pra minha vida cristã. Ao mesmo tempo passei a buscar minha felicidade e viver meus sonhos, os MEUS sonhos. Nada errado aparentemente, mas eu não enxergava que o Senhor tinha mais pra mim, um relacionamento mais profundo, propósitos mais profundos, além das quatro paredes de uma igreja. Eu só entendi que minha atitude tinha que mudar diante de Deus quando alguns dias muito difíceis chegaram, passei por momentos de dor que eu nunca imaginei passar, como doeu, eu me sentia fraca e sozinha, e nem mesmo assim fui buscar em Deus o socorro, o alívio, a esperança...Foi quando conheci o Projeto Vida, mal sabia eu que era um novo tempo começando para mim, um tempo de crescimento e paz. No primeiro momento encantei-me com o trabalho, tudo o que eu sempre gostei de fazer: danças, teatros, arte. O que eu não imaginava é que ia muito além disso o que eu iria experimentar, Deus tinha muita coisa pra me ensinar. Aprendi a servir, ser servo do meu próximo, não importa quem seja, meus olhos se abriram para enxergar um mundo sedento pelo amor do Senhor, um mundo que estava tão próximo e que eu nunca tinha enxergado, pessoas dispersas nas praças, nas ruas, que camuflam seu sofrimento com bebidas, drogas e máscaras... Mas como eu podia nunca ter percebido? Ah sim, eu estava vivendo os sonhos da Thais, somente os sonhos da Thais até então, era demais parar de olhar um pouquinho para mim e prestar atenção no que estava acontecendo à minha volta. Mas isso mudou, aprendi a olhar para esse mundo e interceder por ele, entendi que é minha missão levar o amor de Deus às pessoas, missão de todo cristão. Decidi fazer isso, abrir mão do comodismo, me despojar das minhas vontades e me dispor à obra do Senhor!Tenho buscado os sonhos que Deus tem para mim e também vivido uma parte deles! Ele nos honra quando buscamos fazer sua vontade, desde que entrei para o Projeto tenho vivido um tempo de mudança, transformação, aprendizado e tratamento de feridas que nem mesmo eu sabia que tinha! Hoje meus olhos vêem um Deus que antes só conhecia de ouvir falar e sei que esse é apenas o começo! Sei que ainda há muito mais para conhecer, muito mais para viver, muito mais para aprender de Deus! Entendo este tempo no Projeto Vida como um presente do Senhor! Não sei quanto tempo vai durar, é cansativo trabalhar no Projeto Vida e cursar a faculdade, mas tem valido a pena, sempre vale a pena servir a Deus! E como é maravilhoso fazê-lo! Não tenho palavras para agradecer a Deus por esse tempo!Essa é a forma que eu encontrei de tentar retribuir pelo menos um pouco do sacrifício feito na cruz, mas a cada um Deus dá um chamado diferente, Ele é um Deus tão criativo, pode nos usar de tantas formas distintas, só que isso começa apenas quando nos dispomos diante da sua presença. Creio que a única coisa que o Senhor espera do seu povo é que ele seja disposto a servir, o que só acontece por meio da fé. Vejo que essa entrega é uma prova do nosso amor por Deus, quando abrimos mão de nós mesmos para desfrutar do que Ele tem para nos oferecer.Amado, espero que essas palavras tenham sido edificantes, a única mensagem que eu queria deixar é essa: disponha-se! Não viva à margem do que Deus tem para te oferecer, Desfrute da vida plena que Ele quer te dar.
.
.
.
Thais Baldassarre Guimarães
(missionária em adaptação no Projeto Vida - equipe Ágape)
.
.
.
.

Caso queira saber mais sobre o Projeto Vida da CBP
acesse o site
http://www.vps.org.br/


sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

TAGAÇABA, Nossa Judéia

A Convenção Batista Paranaense, através do Lar Batista Paranaense, mantém projeto social na região litoral do Estado, o ambulatório “DISPENSÁRIO BOM SAMARITANO” (DBS), dirigido pela missionária Ilda Nascimento dos Santos.

Funcionando em Tagaçaba, município de Guaraqueçaba, em parceria com a Prefeitura Municipal que disponibilizou Médico Clinico Geral, Dentista e duas enfermeiras. Atende uma média de 30 pessoas por dia em várias áreas: Clínica Geral, vacinação, curativos, pequenas cirurgias, dentista, profilaxia, orientações, etc. As dependências do Ambulatório tem sido utilizadas para o cumprimento das Campanhas do Programa Social de Saúde instituído pelo Governo Federal, Estadual e Municipal.
.
O Dispensário prestou em 2007, gratuitamente, serviços na área de saúde a aproximadamente 3.400 pessoas no ambulatório médico, mais de 750 pessoas em atendimento odontológico, suprindo necessidades de quase cinco mil habitantes de oito distritos além das ilhas da região.



COMO VOCÊ PODE AJUDAR O DISPENSÁRIO BOM SAMARITANO:
  • ORANDO POR NÓS - Existimos pela oração da Fé. Sem oração e sem fé não sobreviveríamos. A fé e a oração são marcas da nossa ação social em Tagaçaba.
  • DIVULGANDO - Fale do DBS aos seus amigos. Faça cópias deste material e envie a amigos. Promova o DBS em suas reuniões e em sua Igreja.
  • DANDO UMA OFERTA - Precisamos ajudar a sanar as necessidades do povo tão carente daquela região, fazer manutenção do ambulatório e principalmente medicamentos.
  • PARTICIPANDO DA CAMPANHA ACENDA A LUZ - Você pode pedir sua participação no Plano de Adoção Missionária, a partir de R$ 5,00 que pode ser feito através da conta de luz.
  • DOANDO OBJETOS - Roupas, brinquedos, calçados, material para limpeza, medicamentos, alimentos, etc.
  • VISITANDO O DISPENSÁRIO BOM SAMARITANO - Precisamos e esperamos a sua visita que nos ajuda nesta luta tão difícil. Conhecendo o projeto você poderá constatar como você é importante neste ministério.
  • APOIANDO - Participando anualmente da Festa Rural, promoções e eventos do LBP (Lar Batista Paranaense).
Para mais informações acesse http://www.batistasparana.org.br/
ou ligue (041) 3362-7878

Pr. Almir B dos Santos
(Missionário da CBP)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Fazendo Missões em Paraíso do Norte

Queremos compartilhar as bênçãos recebidas na cidade de Paraíso do Norte, localizado na Região Noroeste do Estado.

Convidados pelo casal de missionários Sergio e Andréia M. Silva, estivemos participando das atividades do “Mês da Família”.
Sob o tema – Um por todos, todos por um – tendo por base bíblica o texto “Andarão dois juntos se não estiverem de acordo?”(Amós 3:3), foi realizado o I Encontro de casais daquela congregação.

Os casais ouviram e participaram diretamente nos seguintes estudos:
Casamento – uma instituição divina e as regras de Jesus para o casamento;Comunicação no Lar – a importância do diálogo no lar;Perdão – o primeiro passo para o estabelecimento da direção de Deus no casamento;Frutificando – semeando e colhendo no relacionamento familiar.

Os adolescentes e crianças foram ministrados pela missionária Nely e a filha Elaine com histórias bíblicas, artesanatos e a confecção de um lindo painel com desenhos representando famílias felizes e abençoadas.Foram momentos edificantes para nós e cremos, também para as famílias daquela Congregação.
.
.
Pr. Almir B. dos Santos
(missionário da CBP)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

A Fotógrafa Missionária (missões em verso e imagem)

Por: Sandra Regina Bellonce do Carmo


Roberta Elisabeth Hampton nasceu num lar cristão no Estado de Oklahoma, EUA. Aos sete anos, converteu-se e foi batizada na Primeira Igreja Batista de Piedmond.
Na adolescência passou a freqüentar a Primeira Igreja Batista de Lamar, no Missouri, e por influência de uma professora da EBD que sempre ensinava que Deus tem um plano para cada vida, sentiu a chamada para a obra missionária.
Sem esquecer o chamado que recebeu de Deus aos 14 anos, Roberta cresceu e foi para a Universidade Batista de Oklahoma, onde se formou, em 1951, bacharel em Ciências e em Jornalismo. No Seminário Southwestern, em Fort Worth (Texas), tornou-se Mestre em Educação Religiosa, em 1954, e foi nomeada, pela Junta de Richmond, missionária no México. Passou um ano na Costa Rica estudando o castelhano e viveu dois anos no México.

Após este tempo, Roberta retornou à sede da Junta de Richmond, onde atuou como redatora de Educação Missionária. Em 1965, a ênfase de Missões Mundiais na Junta foi o Brasil, e Roberta para realizar seu trabalho de jornalista teve que pesquisar muito sobre o assunto. Todas aquelas informações sobre um país latino-americano tão carente do Evangelho, tocaram o seu coração e sentiu Deus falar-lhe para ser missionária no Brasil. Aqui chegou em 1965 para trabalhar na cidade de Recife, PE, como assessora de Relações Públicas da Missão do Norte. Roberta foi a primeira jornalista-fotógrafa nomeada para o Brasil pela Junta de Richmond.

Quando pastor Samuel Mitt tornou-se secretário da Junta de Missões Nacionais, convidou Roberta a trabalhar na JMN. Assim, de 1972 a 1988, Roberta dedicou-se de corpo e alma à Junta de Missões Nacionais. Nestes 16 anos percorreu todo o Brasil usando os mais diversos tipos de transporte pelo ar, terra ou água (avião, carro, jipe, motocicleta, pau-de-arara, navio, barco, canoa). Sempre com sua câmera na mão, fotografava com sensibilidade e beleza o povo brasileiro. Demonstrando grande experiência e profissionalismo, suas fotos são até hoje apreciadas e documentam com maestria parte da história e da atuação de Missões Nacionais.

Suas fotos falam dos campos missionários e seus obreiros, nas cidades ou nas aldeias, no litoral ou nos sertões; sua convivência com Marcolina Magalhães, Beatriz Silva, Margarida Gonçalves, pastor Guenther Carlos e Wanda Krieger e outras dezenas de missionários.

Fotografou também os projetos pioneiros como a primeira Transtotal (Operação Missionária na Transamazônica) e as outras operações que a sucederam. Roberta e sua máquina fotográfica conheceram os cantos e recantos de nossa pátria, participando da obra de evangelização.Até 1982 foi redatora de A Pátria Para Cristo fazendo de cada número da revista uma obra de arte, com amor, perseguindo a perfeição.

A partir de 1988, passou a atuar na sede da União Feminina Missionária do Brasil e, sem perder seu vínculo com a obra missionária em nossa pátria, manteve uma página sobre missões na revista Mensageira do Rei, até 1993, quando deixou definitivamente o Brasil, voltando aos Estados Unidos onde vive até hoje. Foram 28 anos de profundas experiências missionárias, que marcaram a vida de Roberta e de todos que foram eternizados pelas suas lentes.
.
***

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Guiné-Bissau: MISSÃO CUMPRIDA

Os missionários Pr. Joed e Ida Venturini, com os filhos Gabriel e Rebeca, depois de 17 anos nos campos de Missões Mundiais, estão de volta ao Brasil. O casal foi nomeado em 1991, como temporários, para os Açores. Ali desenvolveram um trabalho de formação através do Seminário de Extensão, dirigiram a Igreja Batista de Angra do Heroísmo e faziam um programa de rádio.

Naquele período, o Pr. Joed especializou-se em Medicina Tropical. Em 1994 foram efetivados como missionários dos batistas brasileiros para a Guiné-Bissau, África, onde desenvolveram um grande e frutífero ministério evangelístico através das áreas da Saúde e da Educação. Em Bafatá organizaram a igreja, fundaram a escola e inauguraram a Rádio Jam Jamaa (que alcança três países).

O casal foi empossado, no dia 5 de abril, na PIB de Campo Grande, Rio de Janeiro, como Ministros de Evangelismo e Missões (Pr. Joed) e de Educação Cristã (irmã Ida). Eles continuam, além desses ministérios, cooperando com Missões Mundiais na preparação de novos missionários no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil. O Pr. Joed Venturini tem Mestrado em Missiologia e já fez parte do corpo docente do Centro Integrado de Educação e Missões (CIEM).

domingo, 30 de novembro de 2008

Missões Estaduais: ADOÇÃO MISSIONÁRIA

O programa de Adoção Missionária é uma iniciativa prática, inteligente e abençoadora:
É prática porque não tem o trabalho de promoção tão grande como nas campanhas missionárias anuais;
É inteligente porque permite que o crente faça muito mais para missões ofertando um pouco a cada mês;
É abençoadora para as duas partes: para quem entrega a oferta, pois tem a promessa de Deus; e para quem administra, pois sabe que poderá repassar mais e mensalmente para ampliação da obra missionária.
Quando você coopera com Missões Estaduais através de uma oferta mensal, você está permitindo que a obra de Deus cresça com um valor relativamente baixo mas que na somatória geral será uma boa oferta, para honra e glória do nome de Deus.

Há três maneiras de você ingressar no Programa de Adoção Missionária de Missões Estaduais:
  • Através da conta de luz, a melhor maneira de aproveitar o valor da oferta e para quem contribui, uma maneira simples de contribuir (todas as providências ficam por conta de Missões Estaduais);
  • Através do débito em conta, Banco do Brasil ou Banco Bradesco (apenas estes dois). Informe: agência, conta e data de débito.
  • Com boleto bancário, será encaminhado para sua casa. Informe: nome, endereço completo.
Em termos de valores financeiros, não é alto você participar: a partir de R$5,00 mensais, você poderá começar a sua contribuição. Entretanto, em termos espirituais, o que você entrega tem muito, muito significado para o Reino de Deus.

Para mais informações entre em contato com a

CONVENÇÃO BATISTA PARANAENSE - Rua XV de Novembro nº 3270 - Bairro Alto da XV - cep 80050-000 - Curitiba-PR - Telefone (041) 3362-7878 , e-mail: missoes@batistasparana.org.br, site: http://www.batistasparana.org.br/

Participe também com doações de livros, Bíblias, Novos Testamentos, folhetos, equipamentos esportivos, instrumentos musicais, etc.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Missões Estaduais 2008

Tema: "PLANTE IGREJAS, TRANSFORME VIDAS"

Divisa: "Aquele que sai chorando enquanto lança a semente,voltará com canto de alegria trazendo seus feixes" (Salmos 126:6).

Desta vez os projetos missionários estão bem próximos de nós.O privilégio de plantar uma igreja é da igreja, logo, nós que somos a igreja temos que nos unir e agir para que isso aconteça.


Para plantar:



Precisamos de terra boa, terra adubada:
O CORAÇÃO DAQUELES QUE NOS RODEIAM.








Precisamos de semente: PALAVRA DE DEUS.









Precisamos de instrumentos que facilitam a plantação:
OS DONS E MINISTÉRIOS QUE O PRÓPRIO DEUS NOS DÁ.





.
.
.
.
.
Precisamos de lavradores: QUE SOMOS NÓS: EU E VOCÊ.







Se nos colocarmos inteiramente nas mãos de Deus para efetuar a obra, o Senhor Deus a sustentará e então colheremos muitos frutos para o Senhor.
..
.
Aceite este desafio!!!!!
Vamos plantar igrejas no nosso Paraná!!!

.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

A Poetisa Missionária (missões em versos e imagem)

Por: Sandra Regina Bellonce do Carmo
.
Nos 100 anos da obra missionária realizada através de Missões Nacionais várias vidas se destacaram por sua dedicação e amor pelo Brasil. Mas duas mulheres de maneira especial precisam ser lembradas, pois atuaram usando seus talentos para missões – uma como poetisa e a outra como fotógrafa. Myrtes Mathias e Roberta Hampton são exemplos que nos inspiram, pois através dos versos de uma e das imagens da outra conhecemos um pouco mais do povo brasileiro e suas carências e, principalmente, a urgência de levar o evangelho de Jesus a todos os cantos de nossa pátria.


A poetisa missionária
Myrtes Mathias nasceu no dia 8 de fevereiro de 1933, na cidade de Valença, interior do Rio de Janeiro, onde viveu com seus pais, Antonio e Eglantina Mathias, e três irmãos menores. Freqüentava a escola rural dirigida por dona Eglantina e aprendeu a ler com cinco anos. Mais tarde, seguindo os passos de sua mãe, trabalhou como professora rural e depois como assistente nas aulas de arte. Como morava longe da igreja, o culto doméstico realizado com toda a família colaborou muito na sua educação religiosa. Assim, desde pequena, em seu lar, aprendeu a amar a Deus e decidida a seguir a Cristo, batizou-se no dia 14 de outubro de 1947, na Igreja Batista de Valença. A menina cresceu e dentro dela também crescia a vontade de dizer a todos o que tinha no coração. Aquela que dizia ter nascido com paixão por poesia começou então a rabiscar seus primeiros versos no papel – nascia a poetisa.
.
Em toda a sua trajetória de vida, Deus sempre teve um papel fundamental. Para Myrtes ser poetisa era um dom de Deus, por isso sempre afirmava: “o dom deve ser utilizado para glória de Deus”.
.
Muitos trabalhos da “poetisa dos batistas brasileiros” eram escritos com o tema missões. Esse amor por missões era grande, e a levou a atuar em Tocantínia (TO), como missionária. Por problemas de saúde, não pôde permanecer no campo, mas continuou envolvida com missões através de seus poemas. Em 1966, foi trabalhar na sede de Missões Nacionais, a convite do pastor David Gomes, como redatora da revista A Pátria Para Cristo. Em cada número da revista podíamos ler suas poesias e textos motivando uma participação maior de todos, tanto adultos como crianças, na obra missionária. Além da revista, escreveu outras publicações missionárias relatando a história de Missões Nacionais e as biografias de seus obreiros como os livros: Caminhos de Deus e Mais que um desafio.
.
Em 1988, tornou-se imortal como a primeira mulher da Academia Evangélica de Letras. Prêmio merecido para aquela que a tantos emocionou com seus 19 livros entre poemas, crônicas, romance e histórias infantis.
.
Mesmo após sua aposentadoria, continuava indo à sede de Missões Nacionais todas as semanas e numa máquina de escrever antiga datilografava novos poemas sempre de conteúdo simbolista, exaltando os verdadeiros valores da eternidade. Foram trinta anos de dedicação a Missões Nacionais.
.
Myrthes faleceu em cinco de julho de 1996, e sua última poesia “Todos precisam saber” inspirou a letra do hino oficial da Campanha Missionária daquele ano. Quantos outros poemas e hinos de Myrtes Mathias continuam ainda inspirando o amor por missões em todo o povo evangélico. Quem não se emociona e toma consciência de sua missão ao cantar: “Peso de nossa terra, grito de nosso povo, que suplica um mundo novo, onde haja paz e amor. Como cantar nossa crença deixando na treva imensa o povo que é nosso povo, a terra que é nossa terra, Senhor!”.

(Fonte: http://www.jmn.org.br/ - revista Pátria para Cristo)
.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Todos Precisam Saber (poesia)


(Myrtes Mathias)


A coisa principal pela qual viver
É a vida eterna. E a vida eterna
É a Deus conhecer e em Jesus Cristo ver
O Caminho, a Verdade e a Vida:
Todos precisam saber.

Pelos vales, pelos montes, como um rio, como fontes,
Seu amor deve alcançar todo o Brasil, tão lindo,
Tão rico, mas tão sofrido, com tantos filhos perdidos,
Milhões deles tão distantes, outros tão juntos demais,
Que clamam por um espaço:
- Senhor, estende teus braços,
Todos precisam de paz!

Como as águas dos ribeiros seguindo o rumo traçado
Desde o princípio por Ti,
Move mente e corações para que hoje Te conheçam
E a Teu Filho reconheçam,
Porque isto é a vida eterna que já começa aqui.

Paz e justiça se encontrem neste deserto, Senhor,
Que é a alma do nosso povo clamando por mundo novo,
O seu grito de socorro para sempre transformado
Em um hino de louvor.
.
***

domingo, 23 de novembro de 2008

EDUCAÇÃO CRISTÃ MISSIONÁRIA, Um Investimento em Vocacionados

Drª Lídice Gramacho Feitosa
(profª do SEC,membro da Igreja Batista Emanuel em Boa Viagem, Recife-PE)
.
.
A obra de EDUCAÇÃO CRISTÃ MISSIONÁRIA tem se tornado cada vez mais abrangente em nossa Pátria. Ano após ano, jovens e adultos vocacionados por Deus ingressam no SEC (Seminário de Educação Cristã) e no CIEM (Centro Integrado de Educação e Missões) para estudarem, com o objetivo específico de servirem a Deus, no ministério missionário ou em outros ministérios, de um modo competente.
Se esses jovens e adultos são chamados por um Deus especial para um trabalho também especial, eles precisam receber igualmente um preparo todo especial. As universidades, por mais diversificadas e preparadas que sejam, não poderão substituir a educação que essas Casas de Obreiros oferece; não somente pela seriedade com que se realiza a obra, mas pelo seu currículo e experiências extra-curriculares que são oferecidas e supervisionadas durante o curso. Assim é que, nas universidades o jovem ou adulto vocacionado não estuda o Novo e o Velho Testamento, a História do povo cristão e da Denominação Batista; a Estrutura organizacional; as Doutrinas Batistas, a prática do Evangelismo, a Ética Cristã e outros conhecimentos necessários aos obreiros cristãos de hoje.
Essa educação está se tornando cada vez mais pertinente, e enfrenta todos os problemas financeiros que o nosso país atravessa influenciando o nosso povo dentro e fora da igreja.
Ofertar para Educação Cristã Missionária é um ato de fé, porque confiamos num Deus que supre as nossas necessidades.Ofertar para Educação Cristã Missionária é um ato de desprendimento, porque estamos pensando na obra de Deus e não em nós mesmos.
Ofertar para Educação Cristã Missionária é um ato de investimento, porque investir num jovem ou adulto vocacionado é esperar que ele seja um obreiro cristão, um líder denominacional, um missionário onde não podemos ir pessoalmente.
Devemos ofertar, sim! Porém, devemos orar mais intensamente por esta obra e nos interessarmos pelos alunos, professores e direção do SEC e do CIEM, no desejo de ver crescer em nossa Pátria um ministério competente realizado por mulheres e homens autenticamente cristãos e comprometidos com Reino de Deus no mundo.
Eis um investimento necessário em nossos dias:
.
EDUCAÇÃO CRISTÃ MISSIONÁRIA!!!
.
(fonte: revista VISÃO MISSIONÁRIA – 2T08)
***

sábado, 22 de novembro de 2008

Intercessão por Missões Estaduais 2008


PLANTE IGREJAS
Transforme Vidas!!!

Oremos pelos missionários, pelas igrejas do Paraná e por cada funcionário da CBP.





Para plantarmos igrejas precisamos:

*** De intercessão constante do povo de Deus pela família missionária que totaliza 178 pessoas, entre crianças, pais, mães e solteiros.

*** De intercessão pelo Lar Batista Paranaense (Dispensário Bom Samaritano) e Lar Batista Esperança.

*** Alcançar 258 municípios do Paraná sem a presença batista.

*** De intercessão pelos projetos: Caminhoneiros de Cristo; Amigos dos Ciganos; Projeto Vida; Projeto Atalaia; Capelania Hospitalar; Centro de Apoio aos Marinheiros e Projeto Servo.

*** Obreiros dispostos a ir ao campo missionário. Há oportunidade para evangelistas e pastores.

*** Igrejas já estabelecidas que se disponham a abrir novas frentes missionárias em todo o Paraná.

*** Levantar o alvo de 300 mil reais, para a manutenção dos projetos em andamento e o início de novos projetos.

*** Alcançar 5.000 batistas contribuindo mensalmente através da conta de luz.

.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Projeto Servo 2008

O QUE É O PROJETO MISSIONÁRIO DE FÉRIAS?
É um projeto promovido pelo Departamento de Missões da Convenção Batista Paranaense que conta com a formação de equipes de voluntários que se disponham a levar a mensagem do Evangelho de forma integral e contextualizada ao povo paranaense, bem como de apoiar e fortalecer o trabalho de pequenas igrejas, congregações e frentes missionárias no Estado, no período das férias.
QUANDO E ONDE SERÁ REALIZADO?
O Projeto acontecerá entre os dias 12 de julho a 27 de Julho de 2008 e será realizado na região dos Campos Gerais: Castro, Teixeira Soares, Ortigueira, Parque Rio Verde/Ponta Grossa e Verdade/Ponta Grossa.
QUEM PODE PARTICIPAR?
Todo crente, com mais de 16 anos, membro de uma Igreja Batista que deseje dedicar seu tempo nas férias, servindo na obra de missões.
QUE INVESTIMENTO FARÁ O VOLUNTÁRIO?
Cada participante deverá custear sua passagem até a cidade de Ponta Grossa, local onde o voluntário participará de um treinamento. Sugerimos que as igrejas viabilizem a realização desse projeto missionário, ajudando financeiramente os voluntários que enviar.
EM QUE ÁREA O VOLUNTÁRIO PODE SERVIR DURANTE O PROJETO?
As equipes formadas poderão atuar na área de evangelismo (mutirão missionário); capacitação de líderes para ministério infantil e realização de EFF; e capacitação de líderes para ministério de louvor e adoração. No momento da inscrição o voluntário poderá escolher uma das três áreas de atuação do projeto, de acordo com seus dons e interesses. Entretanto, a escolha do local (Igreja) de atuação será definida pela coordenação do projeto, de acordo com a necessidade local e características pessoais do voluntário.
VOCÊ NÃO PODE FICAR DE FORA!!!
Você que participou nos projetos anteriores ganhará a inscrição!!! Para quem participar pela primeira vez a inscrição custará apenas R$ 20,00.
COMO INSCREVER-SE?
Enviando, até o dia 30 de maio/08, ao Departamento de Missões da CBP a ficha de inscrição devidamente preenchida, junto com uma carta de recomendação da igreja assinada pelo pastor ou presidente.Ou acessando o site da CBP (Atualização Cadastral), onde irá preencher a ficha e em observações especificar a área que deseja atuar.


Mais Informações:
Fone.: (041) 3362.7878 ramal 33

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Itália - Batismos e novidades em Milão


Os missionários Pr. Fernando e Ione Pasi, enviados no final de 2007 pelas igrejas batistas do Brasil para a cidade de Milão, através da JMM, já estão praticamente adaptados ao novo campo. O Pr. Fernando, inclusive, está dirigindo os cultos e pregando em italiano e em português na Igreja Evangélica Batista em Milão.

Entre as atividades desenvolvidas na igreja destacam-se as reuniões nos lares. Segundo o missionário, os grupos bíblicos estão surtindo um bom efeito na comunidade local, contando com a presença de alguns italianos não-evangélicos. Outro destaque é o trabalho de discipulado para o batismo. Na próxima Páscoa, o Pr. Fernando Pasi batizará um grupo de cinco irmãos, sendo três italianos e dois brasileiros, que foram preparados desde janeiro pela equipe de discipuladores da Igreja de Milão.

(Fonte: Missões Mundiais, A COLHEITA - Informativo do PAM - nº 20 / março-abril-2008)

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Missionários no Timor-Leste

Os missionários EVALDO TEIXEIRA e VANETE TEIXEIRA estão no sul da Ásia, no Timor-Leste desde 2006.

Biografia de Evaldo Teixeira
Evaldo Teixeira nasceu no dia 22 de agosto de 1962 na cidade do Rio de Janeiro, RJ. Ele é filho de Edmo Teixeira e de Jacyra Guimarães Teixeira e nasceu em lar evangélico.
A conversão de Evaldo se deu graças ao discipulado de sua mãe que além de lhe ensinar histórias e versículos bíblicos todas as noites, antes de dormir, o levava à EBD e às EBFs na igreja que freqüentava. Apesar de toda bagagem cultural evangélica, existiam dentro de Evaldo duas dúvidas: uma era sobre a existência de Deus e a outra era sobre a morte. Ele tinha grande medo da morrer, não gostava nem de falar no assunto. E foi neste momento de crise existencial que sonhou com o dia de sua morte. Em seu sonho, visualizava seu velório com a presença de amigos, pais e parentes chorando por ele. Essa experiência marcou sua vida e ele se converteu numa madrugada.Evaldo foi batizado pelo Pr. Aminadab Verçosa Barros na Segunda Igreja Batista em Realengo, no Rio de Janeiro, em junho de 1971. A experiência da chamada missionária se deu de forma gradativa, mas tudo começou quando cantava num coral. Com o tempo, ele sentiu necessidade de aperfeiçoar-se, e começou a estudar Música. Seu objetivo era de se preparar para servir melhor na obra do Senhor.
Em 1991 Evaldo concluiu o curso de Música Sacra no STBSB; em janeiro de 1992 ele foi, como missionário temporário da JMN, para o Rio Grande do Norte trabalhar na Igreja Batista em Cidade Satélite. Depois de um período de seis meses, trabalhou com o Pr. Sérgio de Oliveira na Tenda da Esperança. Na época conheceu a missionária Vanete Rodrigues da Silva com quem se casou e tiveram dois filhos: Evaldo Teixeira Jr. e Jônatas Rodrigues Teixeira. Com o nascimento do primeiro filho foram trabalhar com plantação de Igreja.Após o último projeto da Tenda da Esperança, em Natal, RN, o casal permaneceu ali para dar continuidade aos trabalhos. Ali o casal deixou organizada uma igreja com aproximadamente 100 pessoas freqüentando os cultos dominicais. Naquela época eles entraram em contato com a JMM, pois desejavam trabalhar em um campo transcultural. Foram desligados do quadro de obreiros da JMN e, assim, foram para Curitiba trabalhar na revitalização da Igreja Batista do Bairro do Alto, onde estiveram durante três anos e seis meses.Evaldo trabalhou na Associação das Igrejas Batista da Grande Curitiba como Diretor de Música e participou da Ordem dos Pastores. Foram três anos e seis meses de inumeráveis bênçãos concedidas pelo Senhor da Seara. Depois, sentindo a direção de Deus, o casal reabriu o processo com a JMM e ingressou no CIEM (Centro Integrado de Educação e Missões) para se especializar e fazer o curso de Formação Missionária.
Em novembro de 2005, o casal Pr. Evaldo e Vanete foi aprovado como missionário da JMM. Em agosto de 2006 a família seguiu para o Timor Leste, onde desenvolverá o ministério de plantação de igrejas naquele país tão carente a assolado pela guerra.

Biografia de Vanete Rodrigues Da Silva Teixeira
Vanete Rodrigues da Silva nasceu no dia 10 de fevereiro de 1963 na cidade de Uniflor, PR. Ela é filha de José Clementino da Silva e de Antonia Rodrigues da Silva e tem sete irmãos.Os pais de Vanete eram católicos e se converteram quando ela tinha sete anos. Naquela época começou a freqüentar uma igreja batista num bairro de Curitiba. Ela se converteu somente aos 14 anos em um culto no lar, ouvindo um missionário dar testemunho de seu trabalho na África, que falou dos desafios e da necessidade de missionários para pregarem o Evangelho naquele continente. Vanete sentiu o Espírito Santo falar ao seu coração. Ela, que nunca havia tomado uma decisão, naquele dia não resistiu e se entregou a Jesus como seu Salvador, e também para servir na obra missionária.
Vanete foi batizada no dia 12 de dezembro de 1977 na Primeira Igreja Batista de Curitiba pelo Pr. Marcílio Gomes Teixeira, mas era membro de uma congregação no bairro Cidade Indústria. Ela começou a trabalhar na igreja muito cedo: aos 15 anos já era professora de crianças na EBD e aos 16 iniciou um trabalho missionário numa comunidade. Deus abençoou sobremaneira, houve muitos batismos e construíram o primeiro templo.Vanete, com a ajuda de uma missionária da JMN, passou quatro anos de muitas lutas mas também de muitas vitórias. Nesse período elas deixaram um templo construído e havia uma freqüência de mais de 100 pessoas. Deus falou ao seu coração que estava na hora de sair. Assim, depois de muita oração, Ela aceitou o convite do Pr. Antonio Martins para plantar uma igreja no bairro de Pitimbú, em Natal, RN. Ali, em 1991, iniciou o trabalho juntamente com a missionária Rosa Maria Teles. Naquela época, em 1995, conheceu o missionário Evaldo Teixeira com quem se casou e tiveram dois filhos: Evaldo Teixeira Jr. e Jônatas Rodrigues Teixeira. Com o nascimento do primeiro filho foram trabalhar com a Tenda da Esperança na plantação de igrejas em Natal, RN.Após o último projeto da Tenda da Esperança, o casal permaneceu no local para dar continuidade aos trabalhos implantados. Ali o casal deixou organizada uma igreja com aproximadamente 100 pessoas freqüentando os cultos dominicais. O casal foi desligado do quadro de obreiros da JMN e, assim, foipara Curitiba trabalhar na revitalização da Igreja Batista do Bairro do Alto, onde estiveram durante três anos e seis meses. Neste ínterim se inscreveram na JMM para servir em missões transculturais.
Em 1982 Vanete ingressou no Seminário Teológico Batista do Paraná, convicta da vontade de Deus para sua vida, pois Ele tinha confirmado sua chamada missionária de uma maneira maravilhosa. Ela trabalhou como líder da União Feminina do Estado do Paraná, foi presidente da MCA da capital e secretária da Associação das Igrejas da Grande Curitiba.
Depois, sentindo a direção de Deus, o casal reabriu o processo com a JMM e ingressou no CIEM (Centro Integrado de Educação e Missões) para se especializar e fazer o curso de Formação Missionária, que foi concluído em dezembro de 2005.
Em novembro de 2005, o casal Pr. Evaldo e Vanete foi aprovado como missionário da JMM. Em agosto de 2006 a família seguiu para o Timor Leste, onde desenvolverá o ministério de plantação de igrejas naquele país tão carente a assolado pela guerra.
.*.*.*.*.*.

Ore por esses missionários e seus filhos. Ore pelo povo que vive no Timor-Leste.
Caso sinta o desejo de adotar estes missionários acesse o site da JMM e participe do PAM, que é o Programa de Adoção Missionária.