quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Busque o Senhor enquanto se pode achar

"Vós, desta geração, vede e considerai 
atentamente o que diz a Palavra do Senhor:
Tenho sido um deserto para Israel? Um lugar tenebroso e inóspito? 
Então, por que o meu povo me despreza exclamando:
Eis que assumimos o controle das nossas vidas! 
Não mais nos sujeitaremos a ti, tampouco te seguiremos?"
                                                                                                         _____ (Jeremias 2:31 - KJV)


          Como podem cair, aqueles que uma vez foram iluminados, que provaram o dom celestial, se tornaram participantes do Espírito Santo, que provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro? (Hebreus 6:4-8). Estariam tão seguros de si, a ponto de assumir o controle das suas vidas e deixar de viver uma vida de comunhão, de relacionamento e de intimidade com Deus?
          
          Certamente, apagaram de suas vidas o Espírito (I Tessalonicenses 5:19). Apartaram-se e se esqueceram do Senhor para, logo a seguir, preparar a mesa para a deusa Fortuna e misturar vinho para o seu Destino (Isaías 65:11-12). "Jesus, contudo, declarou: Certo homem estava preparando um notável banquete e convidou muitas pessoas. Próximo à hora do início da ceia, enviou seu servo para anunciar aos que haviam sido convidados: Vinde! Eis que tudo está preparado para vós. Contudo, um por um, começaram a declinar com desculpas..." (Lucas 14:16-20). Qual desculpa eu e você temos encontrado para justificar nosso afastamento de Deus? Nós, desta geração, gastamos tanto tempo e investimos tanto nas coisas naturais que esquecemos que somos seres espirituais. Nós nos esquecemos de que o propósito de nossa existência é o de buscar ao Senhor, para louvá-Lo e adorá-Lo, todos os dias de nossas vidas. Pois até mesmo quando pensamos que estamos em comunhão, ousamos questionar o porquê de Deus não atentar para nosso jejum; ao que Ele nos responde que nossa intenção é de que nossos próprios interesses sejam atendido (Isaías 58:2-7) e não para sermos renovados e cheios do Espírito Santo, para que Seus propósitos sejam trazidos à existência através de nossas vidas.

          Apóstolo Paulo, extremamente zeloso das tradições de seus pais (Gálatas 1:14), hebreu de hebreus e irrepreensível à justiça que há na lei (Filipenses 3:4-6) orava dia e noite (II Timóteo 1:3) fazendo sempre menção de todos aqueles aos quais o Senhor o enviara, conforme ele mesmo registra em suas epístolas, orando e intercedendo com súplicas e ações de graças. Buscava incessantemente viver em comunhão com Deus a ponto de poder afirmar de si mesmo que falava em outras línguas mais do que todos (I Coríntios 14:18), ao que está escrito, edificava-se a si mesmo (I Coríntios 14:4) e lhe eram revelados os mistérios divinos e segredo celestiais.

          Este mesmo Senhor, Deus zeloso, que faz misericórdia até mil gerações daqueles que O amam e guardam os seus mandamentos (Êxodo 20:5-6) está esperando, como esposo, para tomar novamente Sua noiva em seus braços, de quem não se esquece de sua afeição e do seu amor quando era jovem, de como O seguia no deserto, numa terra em que não se semeia (Jeremias 2:1-2).

"Busque o SENHOR enquanto se pode achar, invoque-o enquanto está perto" (Isaías 55:6). 
"O que fez o ouvido, acaso, não ouvirá? E o que formou os olhos será que não enxerga?" (Salmos 94:4).
Certamente, "se o ouvirem e o servirem, acabarão seus dias em felicidade e os seus anos em delícias" (Jó 36:11).


Alberto
Ministério de Oração e Intercessão da
Igreja Batista Alameda

(informativo Alameda, abril 2017 - edição n°42 - ano 5)




quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Salmos 98:1



"Cantai ao Senhor um cântico novo, pois Ele fez maravilhas;
a sua destra e o seu braço santo lhe alcançaram vitória". Salmos 98:1

"O sing unto the LORD a new song; for he hath done marvellous things: 
his right hand, and his holy arm, hath gotten him the victory." Psalms 98:1

"Cantad a Jehová cántico nuevo, Porque ha hecho maravillas; 
Su diestra lo ha salvado, y su santo brazo".  Salmos 98:1

"Psaume. Chantez à l'Eternel un cantique nouveau! Car il a fait des prodiges. 
Sa droite et son bras saint lui sont venus en aide". Psalms 98:1

"Cantate all’Eterno un cantico nuovo, perch’egli ha compiuto maraviglie; 
la sua destra e il braccio suo santo l’hanno reso vittorioso". Salmi 98:1


✽✽✽✽✽✽✽✽✽✽

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Paixão pelas Almas (livro)



Título Original: The Passions for Souls
Ano: 1969 por Instituto Bíblico das Assembléias de Deus (IBAD)
Ano: 1996 por Editora Vida
ISBN 0-8297-2127-4
Categoria: Missões


  • Como experimentar o reavivamento?
  • Quais os obstáculos ao reavivamento?
  • De quem é a responsabilidade pelo reavivamento?
  • Por que precisamos de um reavivamento?


"O livro Paixão pelas almas é o apelo mais poderoso em prol do reavivamento espiritual que já tive oportunidade de ler. Verdadeiramente, o Espírito de Deus guiou Oswald Smith na redação deste livro. Fosse eu milionário, poria em cada lar cristão um exemplar deste livro. Depois ficaria esperando, com plena confiança, um reavivamento que sacudiria finalmente o mundo todo." (Jonathan Goforth)

"Parece que apenas uma vez em cada geração, Deus ergue um homem com tantos dons e talentos. Nenhum outro homem dos nossos dias está mais qualificado para escrever acerca da paixão pelas almas que Oswald Smith. Seus livros têm sido usados pelo Espírito Santo para gravar algo precioso, como com ferro em brasa, no mais profundo de minha alma, e têm exercido uma extraordinária influência sobre minha vida e meu ministério." (Billy Graham)


**********

Antes de se destacar no campo da composição de hinos, Oswald Smith edificou a mais poderosa igreja evangélica do Canadá. Mais de dois milhões e meio de exemplares de seus livros têm sido distribuídos. Sua obra de evangelização e de preleções bíblicas, abençoou milhares de vidas. Milhões de pessoas o chamavam de 'Sr. Missões'.



sábado, 28 de março de 2015

Avance Sempre na sua Restauração


Na vida as coisas às vezes andam muito devagar.
Mas o importante é não parar.
Mesmo um pequeno avanço na direção certa já é um progresso, e qualquer um pode fazer um pequeno progresso.
Se você não conseguir fazer uma coisa grandiosa hoje, faça alguma coisa pequena.
Pequenos riachos acabam convertendo-se em grandes rios.
Continue vivendo e fazendo.
O que parecia fora de alcance nesta manhã, vai parecer um pouco mais próximo amanhã ao anoitecer, se você continuar movendo-se para frente.
A cada momento intenso e apaixonado que você dedica a seu objetivo, um pouquinho mais você se aproxima dele.
Se você pára completamente é muito mais difícil começar tudo de novo.
Então continue vivendo e fazendo.
Não desperdice a base que você já construiu.
Existe alguma coisa que você pode fazer agora mesmo, hoje, neste exato instante.
Pode não ser muito, mas vai manter você no jogo.
Vá rápido quando puder. Vá devagar quando for obrigado.
Mas, seja lá o que for, continue. O importante é não parar!!!
Autor desconhecido



“Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus”.
(Filipenses 3:13-14)

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

De amarga a doce


Leitura:
Êxodo 15:22-27
…o Senhor lhe mostrou uma árvore;
lançou-a Moisés nas águas, e as águas se tornaram doces…
—Êxodo 15:25
Alegria e tristeza são, muitas vezes, companheiras bem próximas. Assim aconteceu aos israelitas que haviam acabado de experimentar a emoção da vitória no Mar Vermelho quando, três dias depois, se viram diante das águas amargas de Mara (Êxodo 15:22-23). Nosso júbilo pode transformar-se rapidamente em angústia.
Em Mara, o Senhor ordenou a Moisés que lançasse um arbusto na água, o qual a tornou “doce” para beber (v.25). Outra “árvore” quando “lançada” nas circunstâncias amargas da nossa vida, pode torná-las doces. Trata-se da cruz de Jesus (1 Pedro 2:24). A nossa perspectiva será transformada ao contemplarmos a Sua morte sacrificial e Sua submissão à vontade de Deus (Lucas 22:42).
Nossa dor pode vir da vontade doentia ou da negligência de terceiros. Contudo, o nosso Senhor a permitiu. Talvez não entendamos o motivo, porém, é da vontade de nosso Pai e Amigo, cuja sabedoria e amor são infinitos.
Quando dizemos sim a Deus, à medida que Ele nos revela a Sua vontade através da Palavra, nos lembramos da cruz de Jesus e nos submetemos ao Pai, a amargura se transforma em doçura. Não devemos nos queixar daquilo que o Senhor permite. Mas devemos fazer tudo o que Ele nos pede para fazer. Jesus disse que devemos tomar diariamente a nossa cruz e segui-lo (Lucas 9:23). —David H. Roper
Acesse também o site: Consciência Rosa